Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Crianças sírias refugiadas sofrem exploração, segundo o Unicef

Crianças que fugiram da guerra civil síria estão vulneráveis a abusos que incluem o casamento precoce, a violência doméstica e o trabalho infantil, apesar dos esforços por sua escolarização, disse o Unicef, esta quinta-feira (10).

Mais de 1 milhão de crianças, algumas sem pais nem parentes próximos, estão entre os 2,1 milhões de refugiados que trocaram a Síria pela Jordânia, Iraque, Líbano e Turquia desde Março de 2011, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

“Nas comunidades receptoras, elas estão muito mais expostas ao trabalho infantil, ao casamento precoce e à exploração em geral”, disse Michele Servadei, representante adjunto do Unicef na Jordânia, durante entrevista colectiva em Genebra. De acordo com ele, cerca de 200 mil refugiados sírios na Jordânia estão em idade escolar, mas apenas 80 mil estão matriculados.

Adolescentes de 14 a 17 anos, dos quais muitos deixaram os estudos, estão especialmente vulneráveis, segundo Servadei. “O principal mecanismo que essas crianças têm em muitos casos é o recolhimento. Notamos que na verdade muitas crianças não saem de casa.

Mas o problema é que a casa nem sempre é o lugar mais seguro. Há um alto nível de violência doméstica entre as comunidades, definitivamente por causa da situação de guerra, mas também por causa do prolongado deslocamento e da sensação de frustração que ele acarreta”, afirmou.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!