Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
Publicidade

Crescimento das cidades é ponto-chave no controle de mudanças climáticas, segundo a ONU

As áreas urbanas do mundo devem crescer em quase duas vezes o tamanho de Manhattan por dia até 2030, e os projectos de urbanização de futuras cidades da Ásia e da África será crucial para reduzir o aquecimento global, apontou um estudo da ONU divulgado na segunda-feira (13).

A expansão vertiginosa significa oportunidades de bilhões de dólares para as empresas, que vão desde a construção mais sustentável de casas e escritórios até a melhoria das redes ferroviária e rodoviária, de acordo com um relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática da ONU (IPCC).

“Há uma janela de oportunidade” para se associar a arquitectura urbana com a redução do aquecimento global, disse Karen Seto, professora da Universidade de Yale, que participou da elaboração do relatório do IPCC de 2.000 páginas sobre o controle de mudanças climáticas. Um resumo de 33 páginas com uma foto de Xangai na capa foi divulgado no domingo.

O documento informa que as cidades ainda a serem construídas podem ajudar a conter o aquecimento, mas a maioria dos detalhes está num capítulo de 116 páginas obtido pela Reuters antes da publicação na terça-feira. Num cenário, a expansão urbana entre 2000 a 2030 irá adicionar 1,2 milhão de quilómetros quadrados para as cidades, principalmente na Ásia e na África.

Essa expansão significa 110 quilómetros quadrados todos os dias durante três décadas, quase duas vezes o tamanho de Manhattan ou 20.000 campos de futebol norte-americano. “Vinte mil campos de futebol vão passar de fazendas para cidades, de florestas para as cidades, todos os dias”, disse Seto à Reuters.

As áreas urbanas representam entre 71 e 76 por cento das emissões de dióxido de carbono do mundo de energia. Os projectos de cidades mais compactas, que reduzem trajectos, aquecimento para poupar energia, transporte público melhor, ciclovias e áreas de pedestres podem reduzir as emissões, principalmente de combustíveis fósseis. Os obstáculos incluem a falta de regulamentação para o planeamento, especialmente nos países em desenvolvimento.

“A cada semana, a população urbana mundial aumenta em 1,3 milhão”, informa o capítulo. Em 2050, a população urbana deve ser cerca de dois terços de todas as pessoas na Terra.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!