Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Costa do Marfim – Portugal: O que eles disseram no fim do jogo

“Foi um jogo muito tenso, mas acho, honestamente, que se uma das seleções tivesse que vencer seria a nossa, porque tivemos muitas oportunidades. Estou satisfeito com a nossa actuação, a nossa disciplina e a nossa organização durante os 90 minutos. Preferiria ter garantido três pontos, mas Portugal é uma grande equipa e ter segurado o empate já é uma satisfação. Quanto a Drogba, ontem ele disse-me que preferia começar no banco, mas que, se eu precisasse, poderia contar com ele. Foi exactamente o que fiz.” Sven-Göran Eriksson, técnico da Costa do Marfim.

“Como poderíamos estar frustrados com este resultado? Todos viram que foi um jogo entre dois favoritos, um confronto muito difícil. A Costa do Marfim começou por nos esperar na defesa, tentámos construir os nossos ataques e dominámos, mas é complicado criar oportunidades contra uma equipa que se fecha na defesa. Vamos ter de correr mais riscos na próxima partida e isso vale para as duas selecções. Mas é importante lembrar que conseguimos um ponto contra uma das selecções favoritas do grupo. Agora, é preciso pensar na vitória.” Carlos Queiroz, técnico de Portugal.

“Sabíamos que eles não se lançariam ao ataque desde o início do jogo. Tiveram medo de nós no primeiro tempo e abriram-se um pouco mais no segundo, mas acho que reagimos bem. Se não nos conseguimos impor foi unicamente por falta de sorte. Não reduzimos a nossa margem de erro com este empate. Ainda está tudo por definir no grupo. É preciso, simplesmente, continuar o bom trabalho que fizemos até agora.” Cristiano Ronaldo, atacante de Portugal e eleito melhor do Jogo.

“Estou feliz. Conseguimos um ponto diante da selecção de Portugal, que é muito perigosa. Mas mostrámos que podemos fazer grandes coisas. Agora, temos de nos concentrar na partida contra o Brasil. Fisicamente não tive medo algum quando entrei em campo. Se eu tivesse algumas dúvidas, jamais teria pedido para ficar no banco. Não teria corrido nenhum risco. A decisão de entrar em campo foi tomada ontem à noite, numa conversa com o técnico.” Didier Drogba, atacante da Costa do Marfim.

“É difícil marcar uma equipa tão bem organizada como Portugal. E contra o Brasil teremos que defender ainda mais e melhor. Mas conservamos todas as nossas cartas na mão para a qualificação. Se lutarmos como fizemos hoje e se conseguirmos marcar golos, a qualificação neste grupo será possível.” Kolo Touré, capitão e defesa da Costa do Marfim.

“É um resultado justo, considerando a actuação das duas equipas. Sabíamos que seria difícil, diante do excelente adversário e de um elenco cheio de grandes jogadores. O mais importante era não perder. Conseguir o empate não é um resultado mau. Claro que será preciso jogar melhor na segunda partida. Sabemos que será difícil contra a Coreia do Norte, mas daremos o máximo de para conseguirmos a vitória.” Paulo Ferreira, defesa de Portugal.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!