Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Coreia do Norte 0 – Costa do Marfim 3, sabor amargo da vitória

Coreia do Norte 0 - Costa do Marfim 3

A missão era quase impossível, mas para a Costa do Marfim ela serviu como combustível em busca de uma recuperação na última rodada da fase de grupos. Depois do empate com Portugal e da derrota para o Brasil, a equipe africana entrou esta sexta-feira precisando de uma incrível goleada sobre a Coreia do Norte e de tropeço da seleção lusa na outra partida.

A combinação não aconteceu, e o grupo comandado por Sven Göran Eriksson deixou a África do Sul de cabeça erguida, com os 3 a 0 sobre os norte-coreanos, um vitória amarga que deixou a equipa em terceiro do Grupo G com quatro pontos, praticamente repetindo a campanha da Alemanha 2006, quando também caiu num Grupo difícil e foi eliminada com uma vitória.

Naquela ocasião, teve grandes atuações nas derrotas para Argentina e Holanda e fechou a participação com um triunfo sobre a Sérvia e Montenegro. Já a Coreia do Norte não tem motivos para comemorar. Depois da surpreendente campanha na Inglaterra 1966, quando alcançou as quartas de final, em 2010 a equipe só teve um momento de alegria, no golo marcado contra o Brasil já no final do primeiro jogo. Em seguida, levou a maior goleada do torneio (7 a 0 para Portugal) e terminou com um saldo negativo de 11, com 12 golos sofridos.

Ainda sonhando com um milagre, Eriksson colocou em campo uma equipa mais ofensiva, com Gervinho de volta no ataque ao lado de Didier Drogba. O jogador do Lille, que foi sacado contra o Brasil, criou as principais jogadas do primeiro tempo e infernizou a defesa rival.

A primeira delas veio logo a um minuto, em um lançamento no meio da defesa para Kader Keita, que apareceu sozinho e quase marcou. Nos primeiros dez minutos as chances iam acumulando-se. Gervinho criou duas seguidas, numa delas em que a bola atravessou toda a linha de baliza, sem ninguém para completar. Na sequência, Drogba chegou a marcar de cabeça, mas o juiz marcou fora de jogo.

A Costa do Marfiim não saía de perto da área. E, após tanto pressionar, conseguiu o gol. Em boa jogada de Arthur Boka pela esquerda, a bola chegou a Yaya Touré, que encaixou belo remate no canto, sem chances para o guarda-rede. A pressão era enorme e ia surtindo efeito.

Desta forma, o segundo não demorou para sair. Em bola alçada na área, Drogba dominou e soltou a bomba no travessão, no ressalto, Romaric completou de cabeça e balançou as redes.

Acuada, a Coreia do Norte só assustou em cobranças de faltas com Yong Jo, uma delas com extremo perigo.

O segundo tempo foi semelhante, com a Costa do Marfim tendo oportunidade atrás de oportunidades. Drogba levou grande perigo em duas ocasiões, mas o ímpeto diminuiu depois da saída de Gervinho. Foi o suficiente para a Coreia do Norte também passasse a atacar e chegar duas vezes com a possibilidade de diminuir, ambas com Jong Tae Se.

Na melhor delas, ele chegou a ficar cara a cara com Boubacar Barry, ainda teve uma segunda chance, mas não aproveitou. O troco marfinense veio rapidamente. Em cruzamento da intermediária, Kalou antecipou-se ao guarda-redes e fez o terceiro. Até o final a pressão ainda foi grande e outro golo, agora de Aruna Dindane, acabou sendo anulado por fora de jogo. No entanto, o placar ficou por aí, vendo as duas seleções em Nelspruit acabarem eliminadas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!