Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Construção do Estádio Nacional termina dentro de 150 dias

O Estádio Nacional, a maior infraestrutura desportiva construída no país após a independência (1975), será entregue dentro de 150 dias (em Agosto), conforme a previsão do empreiteiro chinês que está a executar as obras do gigantesco complexo desportivo.

Contudo, os cinco meses adiantados pelo empreiteiro da obra são referentes ao termo da parte técnica, ou seja, a finalização dos trabalhos de construção, porque, de seguida, começa a vistoria que será concluída em Dezembro, dependendo da margem de irregularidades na empreitada. A garantia foi dada no domingo ao Ministro da Juventude e Desportos, Pedrito Caetano, durante a sua primeira visita ao local onde está a ser edificado o majestoso complexo desportivo, no bairro do Zimpeto, arredores da capital moçambicana, Maputo, orçado em 58.8 milhões de dólares americanos e que albergará 42 mil espectadores. Caetano, que visitou a obra na qualidade de titular do pelouro, disse estar satisfeito com os excelentes níveis de execução o que permitirá a sua conclusão, dentro dos 150 dias.

“A impressão com que ficamos é de que o ritmo das obras é bom e, segundo informações que nos foram dadas, temos 150 dias para receber o Estádio Nacional completamente construído”, disse o Ministro. As obras de construção do Estádio Nacional, iniciadas em Novembro de 2008, já foram executadas em 65 por cento, tendo, desta feita, sido concluída toda a estrutura em betão armado, finalizado o sistema de climatização, betonagem das caixas de pavimentação e outros avanços.

Não obstante os progressos assinaláveis até aqui concretizados, o Ministro contestou energicamente a execução da obra com recurso a materiais de baixa qualidade tendo, na ocasião, exigido a interrupção imediata do seu uso como forma de salvaguardar o preconizado no projecto. Caetano apontou, a título de exemplo, que o empreiteiro da obra está a colocar aros feitos de madeira de pinho, facto inaceitável porque o país dispõe de outra matéria-prima de excelente qualidade e, acima de tudo, consistente e resistente.

O Ministro contestou igualmente o facto de a construção do parque de estacionamento estar a ser feita manualmente e a mistura do saibro com cimento não ser homogénea, para além de que a própria base não tem a espessura especificada no projecto que devia, em princípio, ser de 10 centímetros, mas que tem menos. “Estivemos a conversar com a direcção da obra, neste caso, da parte chinesa, e chegamos a conclusão de que eles devem rectificar. Mas o que nos preocupa é que desde que receberam a nossa notificação, na Quarta-feira, para rectificarem tanto os aros como as misturas manuais ainda não pararam”, explicou o Ministro.

Contudo, Ele disse ter recebido garantias, da parte chinesa, de que iriam interromper a acção errada. “O Estado moçambicano, dono da obra, tem interesse na qualidade. Então, cada passo que o empreiteiro vai dando, trabalhamos com os nossos colegas do Laboratório de Engenharia e eles vêm frequentemente aqui a fim de colher amostras e fazer as respectivas análises”, disse o Ministro. O importante é que todos estão a trabalhar e o Estado quer uma obra de qualidade porque, segundo o titular da pasta da Juventude e Desportos, a obra tem de garantir também a futuras gerações.

“O nosso interesse é continuar a insistir com o empreiteiro e a direcção da obra, do lado chinês, para que a mesma (obra) tenha a qualidade que nós queremos”, sublinhou Caetano. Na visita, o Ministro fez-se acompanhar pelos directores provinciais da Juventude e Desportos, e contou com a presença especial do Comandante Geral da Polícia (PRM), Jorge Khalau.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!