Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Conhecidos candidatos da Frelimo e Renamo à eleição intercalar em Nampula

Amisse Cololo e Paulo Vahanle são, respectivamente, os candidatos da Frelimo e da Renamo à eleição intercalar da cidade de Nampula, agendada para 24 de Janeiro de 2018. Ambos são naturais de Nampula. As candidaturas decorrem desde 23 de Novembro em curso, devendo terminar a 07 de Dezembro próximo.

Os três partidos já se inscreveram na Comissão Nacional de Eleições (CNE) com vista a concorrer no escrutínio. A eleição intercalar em Nampula visa escolher o edil substituto de Mahamudo Amurane, assassinado na noite de 04 de Outubro passado, na sua casa.

À data da sua escolha, por unanimidade, no decurso da primeira sessão extraordinária do comité distrital de Nampula, Amisse Cololo, de 58 anos de idade, desempenhava a função de director do Secretariado da Assembleia Provincial.

Foi instrutor do Centro de Formação de Professores Primários de Momola e é docente da Universidade Católica de Moçambique. Ele foi igualmente director provincial do trabalho.

O candidato da Renamo, Paulo Vahanle, de 57 anos de idade, também é docente, deputado da Assembleia da República (AR) e membro da Comissão Permanente deste órgão legislativo. Ele foi chefe do gabinete provincial de eleições da Renamo, em Nampula.

Saliente-se que a Frelimo governava a autarquia de Nampula desde 1998, através de Dionísio Chewewa, e em 2003 e 2008 por intermédio de Castro Namacua.

Em 2013, o partido que dirige Moçambique, há 42 anos, perdeu a administração daquela cidade para o MDM, que diz pretende se manter na liderança da chamada terceira urbe mais importante do país.

Nas eleições autárquicas de 2013, a maior formação política da oposição, a Renamo, boicotou o processo exigindo a revisão da lei eleitoral.

Neste momento, Nampula é dirigida interinamente por Américo Júlio da Costa Iemenle, presidente Assembleia Municipal. Ele substitui Manuel Francisco Tocova, detido durante quatro dias e depois restituído à liberdade, por alegada posse de arma de fogo do tipo pistola e cerca de 100 munições.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!