Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Conflito na Síria transformou-se em guerra civil, diz o chefe das forças da ONU

O conflito que já dura 15 meses na Síria tomou as proporções de uma guerra civil, na qual o governo tenta retomar grandes faixas de território urbano perdido para a oposição, disse o chefe das missões de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), esta Terça-feira.

“Sim, acho que podemos dizer isso”, afirmou o subsecretário-geral para Operações de Paz da ONU, Hervé Ladsous, numa entrevista à Reuters e a um outro jornalista, quando perguntado se a crise síria poderia ser classificada como uma guerra civil.

“Claramente, o que está a acontecer é que o governo da Síria perdeu algumas grandes porções de território em diversas cidades para a oposição e quer retomar o controle dessas áreas”, afirmou ele.

Esta é a primeira vez que uma autoridade do alto escalão da ONU declara que o conflito na Síria é uma guerra civil.

“Agora confirmamos as notícias não apenas sobre o uso de tanques e artilharia, mas também de helicópteros de ataque”, afirmou Ladsous. “Isso está de facto a aumentar de proporção.”

Semana passada, o chefe do Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) afirmou que o confronto na Síria tem sido tão intenso em partes do país que em alguns momentos tem classificado a situação de guerra civil localizada, embora não tenha dito que se tratava de uma guerra civil em escala total.

Caso o CICV declare a crise síria um “conflito armado interno”, isso terá implicações legais com relação aos crimes de guerra e ao cumprimento das Convenções de Genebra.

A declaração de Ladsous não tem nenhuma implicação legal, mas pode ter um peso político. Semana passada, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, advertiu sobre o risco iminente de a crise síria tornar-se uma guerra civil.

Ladsous também comentou um ataque sofrido pelos observadores da ONU na Síria, esta Terça-feira, ocorrido quando tentavam chegar à cidade síria de Haffeh.

Os monitores foram forçados a voltar pela multidão furiosa, que lançou pedras e barras de metal contra eles.

“Um dos nossos observadores quase foi ferido”, disse ele. “Pensamos que ele tivesse sido ferido, mas na verdade a bala não o atingiu, atingiu a sua bota.” “Foram muitos impactos no carro”, acrescentou ele. “Assim, foi deliberado.”

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!