Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Conflito homem/fauna bravia: governo aprova plano de emergência

O governo moçambicano aprovou esta quarta-feira, em Maputo, um plano de emergência que visa minimizar o conflito Homem/ Animal, que tem vindo a apoquentar as populações nas várias regiões no país. Segundo o Porta-Voz do Governo, Alberto Nkutumula, este plano consistira no abate, de mais de 130 crocodilos considerados problemáticos e recolha de milhares de ovos, entre outras acções.

“Este plano surge na base de Estratégia de Gestão do Conflito Homem/Fauna Bravia, como resposta a actual situação crítica deste tipo de conflito em alguns distritos e tem como principais acções, nomeadamente, a recolha de ovos, o abate controlado de crocodilos, o reassentamento da população, a vedação das áreas de conservação e a reabilitação de fontes de agua”, disse Nkutumula, falando a imprensa durante o habitual briefing semanal, no término da Sessão do Conselho de Ministros.

O abate, segundo esclareceu, para além de crocodilos, também incluí outros animais problemáticos. Nkutumula esclareceu que este exercício de abate e recolha de ovos de crocodilo será feita pelas instituições públicas. No âmbito deste plano, segundo Nkutumula, será lançado um concurso para a produção de chapas de inscrição que estabelecem sinais que mostrem a aproximação de zonas de perigo onde existam animais bravios.

Ainda esta quarta-feira, o Conselho de Ministros apreciou a proposta de Lei que Cria a Ordem dos Médicos Veterinários de Moçambique, a submeter ao Parlamento, a Assembleia da República (AR). Para Nkutumula esta proposta de lei surge da necessidade de regular a actividade médico-veterinária em Moçambique, através do registo e certificação do exercício da acção disciplinar e controlo das actividades profissionais deste ramo. “O número de pessoas formadas em medicina veterinária em Moçambique tem vindo a aumentar. Muitas doenças contraídas pelo Homem resultam do consumo da carne ou de contacto entre o homem e o animal, daí a grande importância da actividade de medicina veterinária no que toca a saúde pública”, justificou.

De acordo com Nkutumula, todos os funcionários da medicina veterinária deverão inscrever-se na Ordem a ser criada, caso contrário poderão ser penalizados pelo exercício ilegal da actividade. Outra deliberação não menos importante da sessão do Conselho de Ministros e’ a aprovação de uma resolução que reconhece a Fundação Extensão Conhecimento Moçambique, criada pela empresa Vale Moçambique, que actualmente se encontra a explorar as reservas de carvão de Moatize, na provincial central de Tete. Esta Fundação está inserida no âmbito do programa de responsabilidade social desta empresa.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!