Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Combates intensificam na Síria e surge novo relato de ataque químico

Intensos combates aconteceram, esta Segunda-feira (27), na Síria, em torno da estratégica cidade fronteiriça de Qusair, em meio a novos relatos sobre o uso de armas químicas por parte das forças do presidente Bashar al-Assad.

Os activistas da oposição disseram que soldados sírios amparados por combatentes do grupo libanês Hezbollah estavam a avançar nas áreas do entorno de Qusair, mantendo uma ofensiva sobre uma cidade usada há meses por rebeldes como entreposto para o transporte de armas e outros suprimentos a partir do Líbano.

Para Assad, Qusair é uma ligação crucial entre Damasco e bolsões aliados na costa do Mediterrâneo. A eventual recaptura da cidade, na província de Homs, poderá também interromper as conexões entre as áreas rebeldes do norte e do sul da Síria.

As ofensivas do governo sírio nas últimas semanas são uma aparente tentativa de fortalecer a posição de Assad para negociações de paz a serem promovidas, próximo mês, pelos EUA e a Rússia.

As forças de Assad no momento controlam cerca de dois terços de Qusair, segundo um activista que pediu para não ser identificado. Reforços rebeldes de outros pontos da Síria tentam aliviar a tensão, mas os seus ataques já diminuíram na periferia.

“Até agora, eles estão apenas a combater e lutar, a sua ofensiva não resultou ainda em muita coisa, infelizmente”, disse o activista. Intensos combates interromperam a rodovia que liga Damasco, no sul, a Homs, na região central, e sacudiram também a periferia leste da capital, onde dezenas de pessoas sofrem os efeitos de um aparente ataque químico, segundo fontes da oposição.

Um vídeo divulgado na internet mostra o que os activistas dizem ser filas de vítimas deixadas no chão de uma sala grande no subúrbio de Harasta, cobertas com cobertores e a respirarem com máscaras de oxigénio. Ambas as partes do conflito, que já está no seu terceiro ano, acusam-se mutuamente de usar armas químicas.

O jornal francês Le Monde publicou, Segunda-feira, relatos em primeira mão sobre aparentes ataques químicos das forças de Assad em Abril. Outro vídeo gravado na madrugada em Harasta mostrou pelo menos dois combatentes a serem colocados num veículo, com os olhos a lacrimejarem e com dificuldades para respirar, enquanto os socorristas inseriam tubos nas suas gargantas.

Não foi possível verificar de forma imediata o conteúdo dos vídeos, por causa das dificuldades ao trabalho da imprensa internacional na Síria.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!