Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

CMCN ordena destruição de cozinhas nos “take away”

O Conselho Municipal da Cidade de Nampula (CMCN) ordenou, na passada sexta-feira (20), a destruição de 20 cozinhas acopladas a quiosques, vulgo “take away”, por alegada emissão demasiada de gases poluentes.

Segundo Mahamudo Amurane, edil de Nampula, os proprietários das infra-estruturas afectadas desobedeceram às recomendações que o Conselho Municipal fez antes de as obras terem iniciado, e os vendedores preparavam comida a céu aberto emitindo fumo.

Portanto, como forma de corrigir esta má prática, a edilidade decidiu mandar remover, com urgência, as cozinhas, sob o risco de os proprietários que desafiarem as autoridades municipais verem demolidos os seus quiosques.

Na sexta-feira, o edil promoveu a entrega de cheques aos comerciantes afectados. As recompensas variam entre 15 mil e 25 mil meticais.

Este facto está a criar uma onda de descontentamento por parte dos afectados pela decisão municipal, pois, no seu entender, além de constituir uma injustiça, o valor de recompensa não reflecte os gastos por si efectuados que, segundo eles, ultrapassam os 50 mil meticais. Os mesmos acusam o presidente da Associação dos Take away, Shaid Moti, de estar a querer prejudicar os seus negócios, uma vez que as medidas tomadas pelo município não abrangem aquele cidadão.

Momed Amir, um dos afectados, disse ao @Verdade que gastou mais de 50 mil meticais para erguer o seu quiosque, tendo construído a cozinha por ordem do Conselho Municipal, mas, decorridos quatro dias, a edilidade ordenou a destruição. Porém, o valor recebido para compensar a sua obra “é uma falta de respeito”, concluiu.

Por seu turno, o presidente da Associação dos Take away disse que as acusações que pesam sobre si não passa de um claro acto de inveja, visto que o seu quiosque está devidamente equipado para não emitir gases poluentes.

“Todos aqueles que dizem que eu estou a favorecer-me foram aconselhados pelo próprio município a optarem pelos mecanismos que estou a usar, mas nenhum deles aceitou”, disse.

Refira-se que na cidade de Nampula existem pouco mais de 30 quiosques, 20 dos quais em situação irregular.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!