Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cidadão Repórter

Esperemos mesmo que isto não descambe. A avaliar pelo que se passou nesta semana não estamos nada seguros que o pior não venha a acontecer. Faltam 15 dias meus senhores, quinze dias é tempo suficiente para se pôr um pouco da ordem na casa. As acusações, muitas delas proferidas por quem devia pôr água na fervura em vez de deitar achas para a fogueira, subiram de tom nos últimos dias.

Os confrontos já causaram um morto, em Milange, e feridos quanto baste para que nos próximos tempos se previnam situações como estas. Aliás, os ânimos, inexplicavelmente, parecem bem mais exaltados do que nos pleitos anteriores. O que pode estar a gerar toda esta animosidade? Não deve ser seguramente a presença de mais um boletim – o dos provinciais. Adiante.

Nestes recentes recontros, por terem ocorrido em zonas remotas, em que o acesso aos meios de comunicação é praticamente inexistente, fica-se com a sensação que tudo pode acontecer. A vigilância policial não existe, nunca se chega a saber bem ao certo o que se passou – só se ouvem as versões de um lado e do outro – a isenção é nula.

É para lutar contra este estado de coisas – o nosso presidente Samora tinha na vigilância uma das suas grandes armas – que o jornal @ VERDADE se irá associar a entidades internacionais no processo de monitoriamento eleitoral.

Através do envio de mensagens tipo SMS o vulgar cidadão poderá ser, já durante a campanha eleitoral e no dia do voto, repórter do que for vendo, tendo a possibilidade, desde que haja sinal, de nos enviar, através do seu telemóvel um SMS a participar qualquer ocorrência que fuja à normalidade e às regras estabelecidas. As mensagens serão enviadas para dois números à disposição do cidadão repórter e imediatamente serão publicadas no nosso sítio de internet https://www.verdade.co.mz/eleicoes2009.

Depois a veracidade do conteúdo será comprovada por outros cidadãos repórteres no local. Se não for verdade, a mentira tem perna curta, o teor da mensagem será prontamente desmentido por outras. Com a participação nesta iniciativa estamos, sem dúvida, a ser mais cidadãos.

Estamos a lutar pela integridade, pela pureza e pela transparência do processo que queremos que o seja pelo menos tanto como transparentes foram as urnas de voto no último pleito autárquico.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!