Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

CIA revela arquivos sobre o resgate de submarino soviético no Pacífico

A agência de inteligência dos Estados Unidos, a CIA, acaba de abrir pela primeira vez e parcialmente seus arquivos sobre um projeto ultrassecreto realizado durante a Guerra Fria para resgatar um submarino soviético do fundo do Oceano Pacífico em 1974.

Esta ambiciosa operação de alto risco, batizada “Azorian Project”, permaneceu secreta durante décadas. Mas a CIA permitiu à organização independente Arquivos de Segurança Nacional publicar os documentos sobre o caso. Esses documentos, extraídos de um artigo de 50 páginas escrito para uma publicação da CIA, detalham o projeto aprovado a época da presidência de Richard Nixon. Um navio, o ‘Hughes Glomar Explorer’, foi especialmente construído o resgate do submarino soviético.

Em 1975, artigos da imprensa haviam revelado a existência dessa operação, mas a CIA se negou a confirmar sua veracidade, inclusive depois do fim da Guerra Fria. “Mantiveram segredo durante anos”, declarou à AFP John Prados, autor do informe e analista dos Arquivos de Segurança Nacional. A história começou depois que o submarino soviético ‘Golf-II’, matrícula K-129, afundou em um acidente ocorrido no Oceano Pacífico, a 2.500 km do Havaí.

O submarino soviético, que transportava três mísseis balísticos armados com ogivas nucleares, representava uma oportunidade de ouro para a inteligência americana examinar a embarcação caso conseguisse resgatá-la. O documento revelado contém passagens ocultas com tarjas e não responde à pergunta se a operação teve êxito, e o que a CIA fez com submarino e as ogivas. Jornalistas e historiadores chegaram à conclusão que o resultado da operação não ficou à altura do esperado, pois apenas algumas partes do submarino teriam sido trazidas à superfície.

Os elementos mais importantes para a inteligência teriam ficado no fundo do mar. Segundo o documento da CIA, o presidente Nixon apoiou pessoalmente a criação de um grupo de trabalho em 1969 para tentar a recuperação do submarino, apesar do desafio técnico que representava resgatar a imensa nave em 5.000 metros de profundidade. Apesar da reticência de altos dirigentes militares, o presidente deu luz verde definitiva ao projeto em 1972 e a operação finalmente começou em 1974.

A missão secreta foi alvo de acompanhamento por parte da marinha soviética e os americanos tinham a ordem de destruir qualquer documento sensível que comprometesse a missão caso os soviéticos tentassem abordar o navio afundado. Em 1992, o diretor da CIA na ocasião, Robert Gates, atual secretário da Defesa, informou sobre a operação ao presidente russo Boris Yeltsin ao mostrar um filme que apresentava o enterro de seis membros da tripulação do submarino, cujos corpos foram recuperados do fundo do mar.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!