Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Chuvas continuam a matar e desalojar famílias em Nampula

Três pessoas, com idades compreendidas entre oito e 13 anos de idade, morreram na última terça-feira (24), na Unidade Comunal Marien N’guabi, no bairro de Namutequeliua, arredores da cidade de Nampula, em consequência da queda de uma parede provocada pelas chuvas intensas.

Em Namiteca, também devido à precipitação, a população vive mergulhada numa autêntica miséria, uma vez que as casas desabaram, além da intransitabilidade das vias e falta de água potável. Em Namutequeliua, os mortos encontravam-se, na altura, no interior das suas residências. Além desta fatalidade, quatro famílias que residiam naquele bairro ficaram sem abrigo, devido à destruição das suas casas construídas com base em material precário.

O secretário da Unidade Comunal Marien N’guabi, Aquimo Buanamade, disse que uma das causas de desabamentos naquela região deriva do local inapropriado em que as habitações foram construídas.

De referir que, no ano passado, o Conselho Municipal da Cidade de Nampula teria lançado uma campanha que visava a transferência da população para um local considerado seguro, mas a população recusou-se a acatar a medida. Como consequência disso, pelo menos 15 casas de construção precária ficaram totalmente destruídas e oito pessoas morreram por desabamento das suas habitações.

Desgraça em Namiteca

De acordo com alguns moradores de Namiteca, de Janeiro a esta parte, para além da destruição de várias habitações, sobretudo de construção precária, houve o registo de sete óbitos, dos quais uma menor de apenas 10 anos de idade.

Miguel António, um dos residentes no local, disse que a situação é bastante preocupante, na medida em que a população não tem solução à vista.

O governo provincial de Nampula aponta a negligência por parte de algumas famílias abrangidas pelo fenómeno como a principal causa de mortes e destruição de casas na zona de Namiteca, sustentando que as pessoas teriam sido alertadas para não construírem habitações nas bermas dos rios.

A intransitabilidade das vias é também um dos problemas que afecta os moradores daquela zona residencial localizado no bairro de Muahivire-Expansão. Em relação a esta situação, os vendedores informais são os mais afectados, uma vez que, para além de acumularem prejuízos, têm dificuldade no transporte de produtos.

A falta de água potável é outra dor de cabeça dos moradores de Namiteca, pois estes são obrigados a percorrer pelo menos 20 quilómetros para obterem aquele precioso líquido.

O Presidente da República, Filipe Nyusi, que visitou, nesta quinta-feira (26), aquela zona residencial para se inteirar da situação, prometeu resolver o problema. O estadista moçambicano apelou, igualmente, à população para que evite levar a cabo construções precárias, sobretudo nas zonas de risco.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!