Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Chuva corta linha férrea no quilómetro 310 em Gaza

A linha férrea do troço Chókwé—Chicualacuala, entre Mabalane e Combomune, na província de Gaza, está interrompida no quilómetro 310, desde a sábado (28) último, devido à chuva que caiu na semana passada, porém, desde domingo (29) encontra-se no local uma equipa dos Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM) a trabalhar com vista a reparar os danos.

Manuel Afonso Maxlhaieie, delegado provincial do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) em Gaza, confirmou ao @Verdade que o corte verificou-se em três zonas diferentes na mesma via, totalizando uma extensão de 22.80 metros. Tratou-se de uma suspensão das travessas que suportam a linha férrea.

O nosso interlocutor estimou que na zona onde houve a interrupção da via a precipitação foi 250 milímetros e esclareceu ainda que não se tratam de cheias, mas sim, de um deslizamento de areias.

Neste momento, em Gaza, segundo Manuel Maxlhaieie, foi activado o Alerta Laranja, que significa a entrada em acção dos centros operativos de emergência, posicionamento de meios que poderão ser necessários em caso de alguma situação anormal resultante de alguma calamidade natural, sensibilização das comunidades com vista a passar a habitar em locais seguros nesta época chuvosa e evitar atravessar as zonas consideradas de risco.

Entretanto, Manuel Maxlhaieie não soube nos dizer se o corte havido no quilómetro 310 significa ou não a interrupção de circulação de comboios, tendo-nos remetido, para esclarecimentos, aos CFM por receio de fazer declarações sem propriedade sobre o assunto.

O @Verdade contactou, telefonicamente, os Serviços de Transportes Ferroviários nos CFM, contudo, por sua vez, nos remeteu ao Gabinete de Comunicação e Imagem da mesma instituição do Estado, no qual ninguém soube nos dizer o que se passa na via em alusão, alegadamente porque o director daquele gabinete, Alves Cumbe, não se encontra no seu local de trabalho. E não foi possível falar com o visado através do número do telemóvel que nos foi disponibilizado.

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!