Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Choveu bastante, quarta-feira, na Beira

Choveu bastante, quarta-feira, na Cidade da Beira e arredores. A quantidade da chuva que iniciou de madrugada alagou muitos bairros residenciais, sobretudo aqueles da periferia da cidade, onde quase não existe sistema de drenagem das águas pluviais.

 

 

Entretanto, não há confirmação de qualquer incidente relacionado com a queda intensiva da chuva que se registou, quarta-feira, na Beira, por vezes acompanhada de trovoada e ventania.

Os serviços de Electricidade, Água e Telecomunicações estiveram disponíveis, excepto a Internet que não operadores que comercializam esse serviço na Beira, desde a passada sexta-feira.

A Televisão Pública TVM e a privada TIM continuam “off” na Beira, privando o público local do acesso a informação. A redução de canais de difusão de informação sobretudo de natureza pública pode ter criado constrangimentos para alguns autarcas na Beira que dependem exclusivamente desses órgãos.

Por exemplo, foi escassa a informação de que cairia bastante chuva anteontem a noite até a manhã desta quarta-feira, que coincidiu com o início da segunda época dos exames escolares da décima e décima segunda classes.

Contudo, não temos informação ainda da dimensão do impacto que isso poderá ter causado sobretudo para os examinandos. O Director Provincial da Educação em Sofala, Alves Cangane, disse num contacto telefónico com o nosso jornal que era ainda prematuro avaliar a situação. “Ainda é muito cedo. Estamos a monitorar a situação” – afirmou.

No total são cerca de 12 mil estudantes que estão a ser submetidos a exames escolares da décima e décima segunda classes a partir de ontem na Cidade da Beira.

A hora marcada para o início dos exames é 08:00 horas, tendo o Director Provincial da Educação em Sofala, Alves Cangane, garantido que oficialmente não houve alteração do horário em consequência das chuvas.

O sistema de transporte de passageiros esteve a funcionar mas não na sua plenitude, porque algumas tripulações não terão conseguido se apresentar a hora habitual devido a intensidade da queda das chuvas.

Os transportes públicos da Beira apesar de teoricamente constar definido que cobrem toda a cidade, na prática algumas rotas funcionam com bastante défice.

A crise de transporte público pode ter generalizado atrasos nos postos de trabalho, uma vez nem todas empresas possuem sistema interno de recolha de trabalhadores.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!