Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Chineses jogam Kung Fu à um carpinteiro beirense

Mais um caso de agressão e falta de respeito para com os cidadãos nacionais aconteceu, há dias, na cidade da Beira, onde indivíduos de nacionalidade chinesa que trabalham na Birworld International Lda, uma empresa que se dedica ao transporte de combustíveis e mercadorias para os países vizinhos, envolveram-se em cenas de Kung Fu com o cidadão moçambicano de nome Alberto Mutapate, proprietário de uma pequena carpintaria, por este último estar a exigir a liquidação de 354.765,00mt que é devido por aquela empresa na empreitada que executou no bairro da Chota, onde 20 famílias serão alojadas em igual número de casas depois de retiradas na Munhava Casquinha.

Alberto Mutapate contou ao O Autarca ter sido contactado por um representante da Biworld International Lda, precisamente nos princípios deste ano, para executar uma empreitada no bairro da Chota, posto administrativo da Munhava, que consistia em colocar portas e janelas para 20 casas e uma pequena igreja que tinham sido construídas para alojar famílias que serão evacuadas no bairro da Munhava-Casquinha, uma vez que a empresa chinesa comprou toda aquela zona para aí se instalar, num negócio bem fechado com o Conselho Municipal da Beira.

“O contracto que assinei com a Biworld International Lda, era de 1.092.46,00mt para as 20 casas e a igreja, equivalente a 52.692,50 por cada uma delas. A actividade arrancou a 3 de Março deste ano e finalizou-se em Julho último. Concluída a obra os chineses só me pagaram 737.695, 00mt a razão de 14 casas, restando ainda por me pagar 354.765, 00mt”, explicou Alberto Mutapate.

Acrescentou que “quando tentei perguntar as razões da Biworld International Lda não honrar com o que está previsto no contracto, obtive a resposta de que já chegam os 737.695,00 mts que recebi e que eles já não tinham mais nada por pagar”.

Não havendo mais nada por negociar, Alberto Mutapate recorreu à 4ª Esquadra da PRM como forma de persuadir a Biworld International Lda a cumprir o contracto, facto que não deu certo, pois com a notificação na mão foi recebido com Kung Fu, por uns chineses que estavam na porta da aludida empresa, tal como salientou a fonte.

“Já que eles gostam de Kung Fu, meti o caso no tribunal. Espero por um bom desfecho. Não sei, se no tribunal voltarão a fazer Kung Fu. Apenas quero justiça e o meu dinheiro”, ironizou Alberto Mutapate para, de seguida chamar atenção as estruturas competentes para a necessidade de fiscalizarem as obras antes de evacuar as 20 famílias do bairro da Munhava Casquinha para Chota.

Como manda o contraditório, procuramos ouvir a versão da Sun Hui, proprietária da Biworld International Lda, que, no entanto, recusou-se a prestar informações ao nosso jornal alegando o assunto está no tribunal, ao mesmo tempo que frisou não tem nada a pagar ao carpinteiro Alberto Mutapate.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!