Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Populares residentes nas vilas do milénio querem mais serviços sociais em Nampula

A população residente nas vilas do milénio, localizada na província de Nampula concretamente na Ilha de Moçambique e no distrito de Monapo, no posto administrativo de Ituculo, pedem ao governo e tantos outros órgãos de tutela para que promovam e priorizem vários serviços e infra-estruturas sociais e instituições públicas para que haja um desenvolvimento acelerado em resposta ao número da população existente naqueles locais.

 

 

Dados em nosso poder referem que as duas “Vilas do Milénio” existentes na província de Nampula, têm vindo a beneficiar de algumas infra-estruturas como escolas, furos de água, vias de acesso, entre outras infra-estruturas.

Por exemplo, a vila do milénio localizada no distrito de Monapo, no posto administrativo de Ituculo é uma das mais priveligiadas naquela província ao beneficiar de escolas, vias de acesso e instituições públicas, o que não está a acontecer na vila do milénio da Ilha de Moçambique que, desde a sua fundação, nunca beneficiou de alguma instalação se não com a primeira pedra aquando do lançamento.

Na Ilha de Moçambique, a população solicita que sejam oferecidos vários serviços e construídas escolas, hospitais, furos de água, mercados, corrente eléctrica entre outras infra-estruturas sociais.

Manuel Corte, de 29 anos de idade e pai de três filhos residente na vila do milénio da Ilha de Moçambique disse à nossa reportagem que, aquando da promoção das vilas do milénio, foram feitas promessas de que sobre aqueles locais que em hoje, passados alguns anos, nada está a ser feito.

Manuel Corte afirmou que várias comitivas que foram feitos no distrito da Ilha de Moçambique prometiam construir hospitais, mercados, casas modelo e tantas outras infra-estruturas que não estão a ser construídas passados quatro anos.

Helena Filipe, de 31 anos de idade, residente na vila do milénio da Ilha de Moçambique, afirmou que o que mais lhe preocupa é a questão da falta de água potável, locais estratégicos de assistência da população residente.

Joaquim Favorito, residente da vila do Ituculo, disse que apesar de haver projectos que são levados para la há ainda a falta de infra-estruturas estratégicas, como vias de acesso, hospital com capacidade de responder à demanda e tantos outros programas que beneficiem a população local.

Entretanto, Haia Paquile, porta-voz do Centro Regional da Ciência e Tecnologia, norte, afirmou que a sua instituição, junto de alguns parceiros têm vindo a promover projectos sociais que possam garantir que a população viva naquelas vilas do milénio.

Haia Paquile afirmou ainda que o Centro Regional de Ciência e Tecnologia tem promovido a instalação de infra-estruturas sociais, como estradas, hospitais, escolas, furos de água e tantos outros benefícios estratégicos como a instalação de salas de internet e centros de recursos.

“Nesta primeira fase, as nossas actividades estão viradas para a vila do milénio de Ituculo e já avançamos muito. Em relação à vila do milénio da Ilha de Moçambique, onde até ao presente momento não se tem promovido qualquer que seja a actividade que possam levar a bom bordo as vilas do milénio em Nampula” disse.

Paquile afirmou ainda que foi já instalado um centro de internet na vila de Ituculo que tem por objectivo entreter jovens nas suas pesquisas escolares e científicas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!