Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

China concede 14.7 milhões de dólares em empréstimo

O governo moçambicano recebeu um empréstimo, sem juros, calculado em 14.7 milhões de dólares norteamericanos, que permitirá completar a parte deficitária do financiamento do projecto do Estádio Nacional, em construção nos arredores da cidade de Maputo.

Para o efeito, o Ministro moçambicano das Finanças, Manuel Chang, e o Ministro chinês do Comércio, Chen Deming, assinaram hoje, em Maputo, dois acordos (donativo e empréstimo) inseridos no programa do governo chinês de financiamento aos projectos socio-económicos, integrados no pacote de investimentos públicos do governo moçambicano nas áreas de infraestruturas. O acordo de empréstimo, no valor de 14.7 milhões de dólares americanos, destina-se ao financiamento adicional da construção do Estádio Nacional, cujas obras estão a ser custeadas pelo governo da China.

O segundo acordo preconiza a concessão de um donativo avaliado em 7.3 milhões de dólares para o financiamento de projectos a serem acordados entre os dois governos. Manuel Chang disse, no final da cerimónia da assinatura dos dois acordos, que os montantes envolvidos permitirão, por um lado, ao país avançar com os projectos que já estavam aprovados, mas sem execução por escassez de financiamento e, por outro, preencher o défice de financiamento referente as obras de construção do Estádio Nacional.

“Gostaríamos de realçar que o donativo e o empréstimo sem juros que a República Popular da China concedeu a Moçambique nos valores de 7.3 milhões e 14.7 milhões respectivamente significam para nós, mais do que montantes, uma inequívoca expressão dos laços de amizade e cooperação e a vontade da China em ver materializados projectos de investimento público no nosso país”, disse Chang. O donativo, segundo o titular da pasta das finanças, será aplicado no desenvolvimento de projectos de infraestruturas socio-económicas cuja execução carecia de financiamento.

Chen Deming disse, por seu turno, que o governo daquele “gigante” emergente da economia asiática está disposto a dar mais apoio para o desenvolvimento de Moçambique, assim como ajudar o país a atrair mais investimentos para vários domínios do ramo económico. A cooperação entre Moçambique e a China tem se mostrado presente nas áreas da política e diplomacia, agricultura, saúde, educação e cultura, infra-estruturas com enfoque para os programas de investimento público.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!