Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

China alerta para guerra comercial se EUA aprovarem lei do iuan

A China alertou os Estados Unidos esta terça-feira de que a aprovação de uma lei para obrigar Pequim a permitir a valorização de sua moeda pode causar uma guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo.

O banco central chinês e os ministros de Comércio e de Relações Exteriores acusaram Washington de “politizar” questões cambiais e colocar a economia global em risco, depois que senadores norte-americanos votaram na passada segunda-feira para começar uma semana de debates sobre a lei. Pequim fez comentários parecidos no ano passado, depois que a Câmara dos Deputados dos EUA aprovou uma lei cambial que acabou não progredindo no Congresso.

A votação do Senado abriu uma semana de debates sobre o Ato para Reforma da Supervisão do Câmbio, que permite que o governo dos EUA imponha taxações de compensação em produtos de países que subsidiem suas exportações por meio da desvalorização de suas moedas.

“Usando a desculpa do chamado ‘desequilíbrio cambial’, isso aumentará o problema da taxa de câmbio, adotando uma medida protecionista que gravamente viola regras da OMC e seriamente perturba as relações econômicas e comerciais sino-americanas”, disse o porta-voz do Ministério do Exterior chinês, Ma Zhaoxu, em comunicado publicado no site do governo (www.gov.cn) na última terça-feira.

“A China expressa a sua oposição inflexível a isso.” O BC da China disse em comunicado que a lei não resolve questões subjacentes da economia dos EUA. “A lei do iuan aprovada pelo Senado dos EUA não resolverá seus problemas, como poupança insuficiente, alto déficit comercial e alta taxa de desemprego, mas pode afetar seriamente todo o progresso da reforma pela China do regime cambial do iuan e pode também levar a uma guerra cambial que nós não gostaríamos de ver.”

O porta-voz do Ministério de Comércio, Shen Danyang, disse que os EUA estão tentando culpar outros por suas próprias falhas. “Tentar transferir disputas domésticas para outro país é injusto e viola regras internacionais, e a China expressa sua preocupação”, disse ele em comunicado.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!