Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

“Chapas-100” provocam luto com balanço de 19 mortos em Tete

Pelo menos 19 pessoas morreram e outras 20 contraíram ferimentos, nove das quais em estado crítico, na sequência de dois acidentes de viação envolvendo igual número de viaturas de transporte de passageiros, vulgo “chapa-100”, na província de Tete, centro de Moçambique.

Segundo o jornal Diário de Moçambique, o acidente mais sangrento aconteceu na terça-feira, cerca das 9 horas, no povoado de Nsambezi, distrito de Tsangano, na estrada que vai até Angónia (até ao posto fronteiriço de Calomwe, junto ao Malawi), quando a viatura – de marca Toyota Hiace, com matrícula MMZ-03-91, pertencente ao cidadão nacional identificado apenas pelo nome de Soares, que na altura era conduzida por Matias Franque – se despistou e seguidamente capotou, matando 14 pessoas, incluindo o motorista, e ferindo gravemente outras seis. Outras quatro contraíram ferimentos ligeiros.

Informações colhidas pelo jornal Diário de Moçambique indicam que entre os passageiros que perderam a vida há registo de três membros de uma mesma família, que seguiam da cidade de Tete para a vila de Ulóngwè, a sede do distrito de Angónia.

No outro acidente mortal, verificado dois dias antes, desta feita na Estrada Nacional número sete, morreram cinco pessoas, incluindo o motorista, dez ficaram feridas, três das quais com gravidade. Este sinistro envolveu igualmente um “chapa”, também da marca Toyota Hiace, com a chapa de inscrição ABO-074-MP, propriedade de Pedro Azevedo Costumado, e conduzido por Estevão Mandava, cidadão de nacionalidade malawiana, vulgarmente conhecido por Mavhudo.

Dados fornecidos pelo departamento das relações públicas do comando provincial da Polícia da República de Moçambique de Tete, dizem que a viatura seguia em direcção à cidade capital da província, proveniente da vila fronteiriça de Zóbuè, na região de Inhangoma, quando rebentou o pneu traseiro direito e, devido ao excesso de velocidade, o condutor não conseguiu dominar o veículo, tendo este se despistado e em seguida capotou. Em ambos casos, registaram-se também elevados danos materiais.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!