Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cerco do Taliban a um hotel termina com 20 mortos

A força de elite da polícia afegã encerrou, esta Sexta-feira, com ajuda das forças da NATO, um cerco de 12 horas num popular hotel nos arredores de Cabul, que foi invadido pelo Taliban durante uma festa.

Pelo menos 20 pessoas morreram. Usando granadas de propulsão, coletes explosivos e metralhadoras, os militantes invadiram o hotel durante a noite e tomaram dezenas de reféns, provando quão potente a insurgência islâmica permanece depois de uma década de guerra.

Aterrorizados, muitos convidados à festa e hóspedes do hotel saltaram no lago anexo, segundo as autoridades e moradores da região. Na hora do ataque, havia cerca de 300 pessoas no interior do prédio.

O Ministério do Interior disse que o tiroteio no hotel Spozhmai resultou na morte de 12 a 15 civis, dois seguranças do hotel, um policial e cinco militantes.

O Taliban afegão reivindicou imediatamente a acção, mostrando a sua capacidade de realizar ataques num momento em que os países da NATO preparam-se para retirar a maioria das suas tropas até o final de 2014.

Abdullah Samadi, de 24 anos, que foi tomado como refém, disse que o ataque começou com a explosão de uma granada.

“Tentamos escapar, mas ficamos cercados por homens-bombas. Escondemo-nos atrás duma árvore até manhecer. Deus protegeu-nos”, contou.

Samadi disse que os militantes observavam de perto os reféns e procuravam armazéns ilegais de vinho na festa.

“Ao alvorecer eles chegaram mais perto de nós e tivemos que saltar para água. Ficamos lá até as 9h, e aí a situação melhorou e lentamente nadamos ao encontro das forças de segurança.”

O Ministério disse ainda que o Taliban usou civis como escudos humanos, e que cerca de 50 pessoas continuaram como reféns até o final da manhã da Sexta-feira.

A resposta rápida da polícia, apoiada pelas tropas da NATO, libertou pelo menos 35 reféns, numa operação que começou apenas ao amanhecer, para ajudar as forças de segurança a evitar mortes de civis.

O Taliban disse que o hotel, a cerca de dez quilómetros do centro de Cabul, era usado por estrangeiros e afegãos ricos para fins de “prostituição” e “festas desregradas” na véspera da Sexta-feira, dia sagrado do islamismo.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!