Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Centrais voltáicas servem a 2,8 milhões de moçambicanos das zonas rurais

Cerca de 2,8 milhões de moçambicanos beneficiam de energia eléctrica produzida por centrais voltáicas montadas em todo o país, número que representa cerca de 19% de cobertura deste produto energético fornecido através de painéis solares.

Os utentes são, na sua maioria, das zonas rurais e residentes nas sedes distritais e de alguns postos administrativos, segundo Miqueline Meneses, Presidente do Conselho de Administração (PCA) do Fundo Nacional de Energia (FUNAE), ajuntando que mais cerca de cinco mil moçambicanos vão, nos próximos três anos, beneficiar de energia eléctrica produzida por três unidades do género a serem instaladas nas vilassedes distritais de Muembe, Mecula e Mavago, no Niassa.

Estas unidades serão montadas ao abrigo de um financiamento do Exibank da Coreia do Sul de 35 milhões de dólares norte-americanos, cujo acordo de concessão foi assinado, esta Quinta-feira, no Maputo, pelo ministro das Finanças, Manuel Chang, e Sang Wan Byun, vice-presidente daquela instituição financeira.

Na altura, Chang e Byun assinaram um total de dois acordos de financiamento no valor global de 60 milhões de dólares para projectos do sistema de gestão de informação de emergência e de construção de centrais voltáicas para permitir conexão mútua e utilização comum dos agentes da Polícia da República de Moçambique (PRM), serviços públicos nacionais de salvamento e transacções médicas de emergência dentro de um centro de chamada e do comando de estações do Ministério do Interior.

Estes fundos concessionais têm um período de maturidade de 40 anos, incluindo15 anos de graça e, são reembolsáveis a uma taxa de juros de 0,01% e a sua assinatura segue-se a outros três acordos de crédito assinados em 2010 num valor global de 114,1 milhões de dólares para financiar obras de construção do Hospital Central de Quelimane, o Corredor de Desenvolvimento de Nacala e de electrificação rural da província de Gaza, consumindo este último projecto cerca de 49 milhões de dólares.

As relações de cooperação entre Moçambique e Coreia do Sul, frisa-se, foram estabelecidas em 1993, focalizando áreas de Energia, Tecnologias de Informação e Infra-estruturas como estradas, hospitais, escolas e saneamento do meio financiados por donativos ou créditos com comparticipação do Governo moçambicano que varia de 9% a 15%.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!