Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cebola Moçambicana será consumida além fronteiras

Os distritos de Malema e Ribáuè vão exportar cebola para os países da região austral do continente, a partir do início do próximo ano. Com efeito, o governo, em parceria com a União Europeia, disponibilizaram um fundo estimado em pouco mais de onze milhões de meticais para aquisição de equipamento e construção, na vila de Malema, de uma unidade de processamento da cebola.

Lucas Muidingui, gestor na Olipa- Odes, uma organização nacional não governamental que opera em diferentes programas de desenvolvimento rural na província de Nampula, e implementadora do projecto de cebola, em curso desde Fevereiro ultimo naqueles dois distritos, disse que a primeira actividade baseou-se na identificação e multiplicação de uma semente de variedade local daquela hortícola adequada aos padrões de qualidade exigidos no mercado.

Conseguidos os resultados pretendidos, iniciou-se a organização das associações ao nível daqueles distritos interessadas no projecto, visando a massificação do cultivo da cebola que, como o tabaco, algodão e gergelim, é considerada cultura de rendimento.

A fonte acrescentou que o projecto espera produzir anualmente, numa primeira fase, cerca de duzentas toneladas de cebola de variedade denominada Malema, a qual será comercializada pelos preponentes do projecto e conduzida à fabrica com designação de MUSHOVO, localizada em Malema, para processamento que consiste na selecção, limpeza, calibragem, e embalagem.

Lucas Muidingui frisou que a cebola Malema está a registar muita procura por parte de intervenientes na sua comercialização, com vista a abastecer os mercados das províncias de Cabo Delgado, Sofala e Zambézia, além da própria anfitriã.

Depois de consolidado o mercado nacional, iniciará a exportação da cebola nacional para os países vizinhos onde a sua qualidade, influenciada pelo sabor, aroma e resistência a factores climáticos depois de colhida, é bastante apreciada e concorrida.

A nossa fonte referiu que é intenção do projecto desenvolver acções com vista à obtenção da certificação (Made in Mozambique) do produto pelo Ministério da Indústria e Comércio para que possa circular no mercado internacional sem constrangimentos em termos de colocação.

Posteriormente, prosseguirá os estudos visando assegurar a manutenção do perfil genético da semente Malema, considerada muito rara ao nível dos países de África. Ao nível do distrito de Malema e Ribáuè, regista-se um grande entusiasmo por parte dos produtores de hortícolas em envolver-se na iniciativa do governo e seus parceiros que, segundo a nossa fonte, tem como propósito assegurar o aumento da renda das famílias e consequente qualidade de vida.

Os dois distritos lideram, ao nível da província de Nampula, o processo de produção agrícola.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!