Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Campeã do Mundo, Itália, enfrenta a fraca Nova Zelândia

A seleção da Itália, que tropeçou contra o Paraguai ao empatar em 1-1 no início da defesa do seu título na Àfrica do Sul, enfrentará neste domingo em Nelspruit a Nova Zelândia, a seleção mais fraca do grupo F, em busca de uma boa vitória para se aproximar dos oitavos de final. Australianos e italianos jogarão às 16h no estádio Mbombela de Nelspruit (leste), a menor cidade das sedes do primeiro mundial africano, num duelo que lembra Davi e Golias, pela segunda jornada do Grupo.

O médio Daniele De Rossi (Roma) assumiu a condição de favorita da sua equipe, que foi tetracampeã na Alemanha, em 2006, e que está empatada com as outras seleções do grupo: Eslováquia, Nova Zelândia e Paraguai. “Há equipes que precisamos ganhar. Somos superiores. Temos que estar atentos, claro, têm jogadores altos. Mas somos a Itália, temos que ganhar”, afirmou De Rossi.

“Temos que ganhar. Uma derrota? Nem penso nessa possibilidade”, disse o defesa Domenico Criscito (Genoa).

Uma derrota, e até um empate, contra os neozelandeses significaria um fracasso para os campeões do mundo, por tratar-se de um adversário que está no 78º lugar do ranking da Fifa, que chega pela segunda vez a uma Copa depois da Espanha-1982, onde sofreu três derrotas.

No entanto, vários favoritos europeus sucumbiram na África do Sul, entre eles a França (que perdeu de 2-0 para o México), a Espanha (que caiu por 1-0 frente à Suíça), enquanto Inglaterra teve apenas dois empates (1-1 com os Estados Unidos e 0-0 com a Argélia) e a própria Itália vem de 1-1 com o Paraguai.

Apesar do seu empate com os guaranis, o treinador italiano Marcello Lippi afirmou que ficou satisfeito com o desempenho de seus jogadores na estreia, quando a ‘Squadra Azzurra’ sofreu outro golpe com a baixa de seu guarda-redes titular, Gianluigi Buffon (Juventus), com uma hérnia de disco. Ainda não se sabe por quanto tempo Buffon ficará fora dos relvados. Enquanto isso, será substituído contra os ‘kiwis’ por Federico Marchetti (Cagliari), que jogou o segundo tempo contra o Paraguai.

Os ‘azzurri’, criticados por terem muitos veteranos na equipa, também não contarão com o médio Andrea Pirlo (Milan), jogador mais decisivo da equipe, que lesiounou-se num amistoso contra o México no dia 3 de junho, e só poderá jogar na última jornada contra a Eslováquia, no dia 24 de junho em Johannesburgo. A Nova Zelândia enfrentará na última rodada o Paraguai, no mesmo dia 24, em Polokwane.

Depois do empate em 1-1 com a Eslováquia, conseguido aos 48 do segundo tempo na terça-feira em sua estreia, a Nova Zelândia começou a sonhar com as oitavas de final, embora seja considerada a seleção mais fraca do Mundial e tenha conseguido a sua vaga para a África do Sul favorecida pela decisão da Austrália de competir pela Ásia, em vez de pela Oceania.

“É um longo caminho” que a Nova Zelândia tem pela frente, considerou o treinador dos ‘All Whites’, Ricki Herbert, acrescentando que passar para a segunda fase do torneio “é posível”. “Só temos que trabalhar duro e acreditarmos em nós mesmos para vermos o que acontece”, disse Herbert. “Estou certo de que os italianos esperam ganhar os três pontos. Temos o maior respeito por eles, mas estaremos à altura”. A partida entre italianos e neozelandeses será arbitrada pelo guatemalteco Carlos Batres.

Itália: Marchetti – Zambrotta, Cannavaro (cap), Chiellini, Criscito – Pepe, De Rossi, Montolivo, Marchisio – Gilardino, Iaquinta ou Di Natale.

Nova Zelândia: Paston – Reid, Nelsen (cap), Smith – Bertos, Vicelich, Elliott, Lochhead – Smeltz, Fallon, Killen.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!