Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cai administrador de Mopeia

Já era sem tempo. É assim como dizem os residentes da pacata vila de Mopeia, sul da província da Zambézia. Depois de aturadas gafes que vinham sendo cometidas pelo então administrador distrital Simão Manuel, finalmente a “ árvore foi abanada e o fruto podre caíu por si só…”.

Emprestamos aqui as palavras do saudoso Samora Machel. A queda de Simão foi recebida pelos residentes de Mopeia como se fosse um balão de oxigénio, dai que respira-se de alívio. Uff, finalmente, aquele senhor foi-se embora.

Uma fonte a qual reputamos idoneidade fez saber que são muitos motivos que levaram com que Manuel deixasse de ser administrador distrital. Só para lembrar aos nossos caros leitores, num passado não muito distante, aquando da visita do governador, aquele dirigente do distrito foi visto como alguém sem capacidade de liderança.

E não só isso, afinal as gafes do senhor não eram poucas. No processo da distribuição do gado bovino para tracção animal era teria sido acusado em ter desviado algumas cabeças para fins próprios.

Esta situação foi muito badalada e até chegou aos ouvidos de Itai Meque que teve que dirimir este conflito, tendo ordenado a devolução do gado. E não só, também o administrador era visto como alguém que só ameaçava a máquina distrital. Não tinha conversa com ninguém, dai que tudo o que se fazia em Mopeia tinha como auge o administrador.

Os funcionários públicos, estes já não tinham mais paciência com ele. Conforme soubemos, a exadministrador proferia ameaças ao pessoal. Na reunião que Meque teve com funcionários, mostrou-se claramente que algo estava mal. Todos calaram-se, mesmo pela insistência de Itai Meque, os funcionários não foram capazes de dizer algo.

Isto porque conforme soubemos, dias antes, aquele dirigente havia ameaçado os funcionários alegando que mesmo se o quisessem prejudicar dizendo algo ao governador, não teria solução porque ele é que era o timoneiro do distrito.

João Zamissa subiu

Quarta-feira, antes de confirmarmos por vias oficiais esta informação, recebemos uma mensagem telefónica dando-nos esta ocorrência.

Mas como não é fácil obter informações deste género logo, ficamos calmos, mas a procura naturalmente de outras vias para aferirmos a veracidade da informação. Outras mensagens foram entrando e fomos vendo que afinal era mesmo verdade. Por volta das 19 horas, recebemos de uma fonte segura que era verdade.

João Zamissa, que até então vinha chefiando o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades na Zambézia, foi nomeado administrador de Mopeia e ao que o nosso jornal sabe, na manhã desta quinta-feira, Zamissa toma posse e vai assumir mesmo as funções de administrador.

Esta queda de Simão Manuel acontece a sensivelmente um mês antes do Presidente da República, Armando Guebuza, visitar a província da Zambézia, no âmbito da governação aberta.

Ainda haverão mais?

Sim, dizem as nossas fontes quando perguntamos sobre as possíveis quedas futuras. Por exemplo, há fumo negro no Ile e a respectiva administradora, Ângela Serrote, parece não estar a dar conta do recado daquilo que tinha sido incumbida para fazer. Pode ser a próxima vítima. Mas o tempo vai ditar tudo. Mas até agora que pegou no duro foi mesmo Simão Manuel que deixa o tacho para Zamissa.

Refira-se que Simão Manuel era tido como um ditador naquele distrito e as relações com o seu Secretário Permanente eram azedas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!