Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Cabelo moicano do engenheiro de jipe da Nasa vira hit na Internet

Entre dezenas de cientistas que lotavam o centro de controle da Nasa durante o espectacular pouso do jipe Curiosity no Marte, nenhum chamou tanto a atenção dos telespectadores quanto Bobak Ferdowsi e o seu cabelo moicano.

O cabelo espetado do bonitão de 32 anos virou sensação instantânea na Internet, contribuindo involuntariamente para divulgar a missão da Nasa junto ao público e, talvez, atraindo os jovens para uma futura carreira científica.

O californiano, pós-graduado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), trabalha, há nove anos, na Nasa, sempre usando penteados exóticos nas grandes missões e projectos, o que virou uma espécie de talismão.

Para o pouso da Curiosity, na madrugada da Segunda-feira (6), o seu penteado foi motivo de votação entre os seus colegas do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, em Pasadena.

Ganhou o modelo moicano tingido de vermelho e azul e enfeitado com listas e estrelas alusivas à bandeira dos Estados Unidos.

Com a propagação dos “memes” com a sua imagem, a sua conta do Twitter ganhou 44 mil fãs e muitas propostas de casamento. No Tumblr, surgiu um blog chamado “A Nasa precisa de mais moicanos”. Ferdowsi disse estar chocado com tanta atenção.

“Não percebi que o nosso pouso seria uma coisa tão assistida. Fico feliz pelo facto de as pessoas terem ficado muito animadas por assistir àquele pouso quanto eu. Mas acordar na manhã seguinte e descobrir que toneladas de pessoas passaram a interessar-se por mim, ou descobrir que sou uma cara nova na Nasa, é uma loucura”, disse ele à Reuters.

Como parte da equipe que acompanhou as últimas horas da viagem do Curiosity até Marte, Ferdowsi e os seus colegas pouco tinham a fazer senão torcer pelo sucesso do complexo pouso, que foi totalmente autoguiado.

Uma das últimas tarefas do engenheiro antes da entrada do jipe na atmosfera foi enviar sinais que reorientaram o equipamento, preparando-o para entrar na ténue atmosfera marciana a uma velocidade supersónica.

O pouso e a comemoração da equipe foram transmitidos para o mundo todo, e desde então a fama de Ferdowsi tem motivado brincadeiras dos seus colegas.

“Eu não trabalharia aqui se achasse que era a Nasa chata do passado. Ainda somos nerds e geeks aqui. Sem dúvida. Mas estamos um pouco mais confortáveis por expressarmo-nos.”

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!