Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Buscas prosseguem após acidente em mina de carvão chinesa

Equipes de socorro tentavam resgatar na segunda-feira 153 pessoas que ficaram presas no domingo com a inundação de uma mina de carvão no norte da China, onde as condições de segurança nessa actividade provocam catástrofes frequentes.

O presidente chinês, Hu Jintao, e o primeiro-ministro, Wen Jiabao, ordenaram que as autoridades locais fizessem todo o possível para socorrer os operários da gigantesca mina de Wangjialing, no distrito de Xiangning, que deveria começar a funcionar em outubro, informou a imprensa estatal.

Tubos e bombas foram transportados ao local do acidente para começar a retirar a água que inundou a mina localizada na província de Shanxi, principal região carbonífera do país. “Como a mina estava em processo de construção, não havia equipes suficientes de drenagem”, afirmou à emissora de televisão estatal o engenheiro encarregado da Administração Estatal de Segurança no Trabalho da província, Liu Dezheng.

“Trabalhamos a noite inteira e estamos verdadeiramente esgotados”, afirmou um membro da equipe de socorro, Zhang, com o rosto escurecido pelo carvão. “Estamos fazendo o possível para salvá-los”. Um total de 261 mineiros trabalhavam nos poços da mina no momento do acidente, sendo que 108 puderam voltar à superfície ilesos, afirmou a Administração Estatal de Segurança no Trabalho.

A maior parte dos operários que ficaram soterrados é migrante, muitos deles vindos da província de Guizhou, no sudeste do país, informou um membro da equipe de socorro à agência Xinhua. Segundo os primeiros dados da investigação, a água tinha se acumulado em um poço vizinho antes de inundar a área onde os mineiros trabalhavam.

Estima-se que havia entre 130.000 e 140.000 de metros cúbicos de água – o equivalente a 52 piscinas olímpicas – e que seria necessário um dia e meio para baixar o nível da água e três dias para retirá-la por completo, informou a CCTV.

A mina, de 180 km quadrados de extensão, pertence à empresa pública Huajin Coking Coal e se preparava para produzir seis milhões de toneladas de carvão por ano.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!