Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Britânico Angus Deaton ganha Nobel da Economia

O britânico Angus Deaton ganhou o Nobel da Economia 2015 pela sua análise sobre consumo, pobreza e bem-estar, anunciou nesta segunda-feira(12) a Academia Real das Ciências da Suécia.

O prémio reconheceu a contribuição do professor da Universidade de Princeton ao estudo das decisões individuais de consumo, um elemento-chave para o “projecto de políticas económicas que promovam o bem-estar e reduzam a pobreza”.

“Ao vincular as escolhas individuais detalhadas e resultados agregados, a sua pesquisa tem ajudado a transformar os campos da microeconomia, macroeconomia e economia do desenvolvimento”, justificou o júri da Academia.

A obra de Deaton gira em torno de três grandes questões: Como os consumidores distribuem os seus gastos entre diferentes bens?, Quanto da renda da sociedade é gasto e quanto é poupado?, Como podemos medir e analisar melhor o bem-estar e a pobreza?

Sobre as decisões individuais de despesa, Deaton, de 69 anos, propôs o Sistema Quase Ideal de Demandas (‘Almost Ideal Demand System’) um método “flexível, mas simples” de estimar como a demanda de um produto determinado depende do preço de todos os bens e serviços e da renda do consumidor.

Esta contribuição, que com pequenas modificações já se transformou numa ferramenta padrão no seu ambiente de estudo, não serve apenas para explicar as formas de consumo, mas também para avaliar como uma mudança na política fiscal pode afectar o bem-estar de diferentes grupos sociais.

A academia acrescentou na sua argumentação que os seus estudos apontam que cruzando dados de famílias de forma inteligente é possível obter informações relevantes sobre temas como a relação entre a ingestão calórica e a discriminação por sexo.

Angus Deaton vai receber 8 milhões de coroas suecas (855.000 euros). Ele sucede com este prémio o francês Jean Tirole, que ganhou o Nobel da Economia no ano passado pelas suas análises do poder das empresas, a concorrência e a sua regulação.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!