Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Brasil vence mas não convence

Depois de um início fraco, a seleção brasileira de futebol melhorou e venceu a Irlanda por 2-0 no amistoso disputado esta terça-feira, no Emirates Stadium, casa do Arsenal, em Londres. A equipe dirigida por Dunga disputou a última partida importante antes de dar o pontapé inicial à sua campanha na Copa do Mundo, em 15 de junho, quando enfrentará a Coreia do Norte em Johannesburgo, capital sul-africana.

O golo na própria baliza do meio campista irlandês Keith Andrews abriu o marcador para os pentacampeões faltando pouco para o intervalo e Robinho acrescentou no segundo tempo, após uma bela troca de passes. Para os irlandeses, enfrentar o Brasil foi um amargo lembrete do que eles poderiam encarar pela frente, já que a partida marcou sua volta aos gramados desde que Thierry Henry fez o golo de mão que garantiu a classificação da França na Copa às custas dos comandados de Giovanni Trapattoni.

O jogo também foi uma ocasião histórica, uma vez que o guarda-redes Shay Given e o defesa Kevin Kilbane fizeram suas 103ªs aparições vestindo as cores da Irlanda, colocando-os à frente de Steve Staunton como os jogadores mais atuantes do país.

Enquanto a Irlanda buscava exorcizar seus demônios, o Brasil esperava concluir seus preparativos para o Mundial, enviando um alerta para seus rivais pelo título. Em novembro passado, o Brasil havia dado uma aula de futebol à Inglaterra para vencer por 1-0 a equipe comandada por Fabio Capello, no Qatar. Mas a estratégia de Dunga de usar meios campistas durões como Gilberto Silva e Felipe Melo à frente do habilidoso Ronaldinho demonstrou que ele ainda prefere confiar mais no pragmatismo do que dar show de futebol arte para a legião de fãs da seleção verde-e-amarela.

Jogadores como Kaká demonstram que ainda há inspiração atrás de tanto suor. Prova disso é que ele foi o primeiro a criar chance de golo, com um tiro de longo alcance que passou sobre a trave de Given. A Irlanda também chegou perto de abrir o placar, quando o cruzamento de Damien Duff chegou em Kevin Doyle e o esperto atacante dos ‘Wolves’ acertou uma cabeçada no ângulo, que Julio César conseguiu desviar.

Mas o norte de Londres, cada vez mais se parece com a casa da seleção, que agora fez sua quinta visita ao Emirates Stadium, e os ‘anfitriões’ se sentiram ameaçados quando o lance livre de Adriano forçou Given a entrar em ação pela primeira vez na partida. A equipa de Dunga assumiu a vantagem aos 44 minutos, com seu único momento realmente expressivo do primeiro tempo. Partindo do campo brasileiro, a bola foi lançada para Maicon e o lateral fez um passe para Robinho, impedido, quase dentro da área irlandesa. O jogador do Manchester City, emprestado ao Santos, trabalhou a jogada antes de fazer um cruzamento rasteiro que Andrews converteu em golo enquanto tentava tirar a bola.

No segundo tempo, Trapattoni fez várias substituições, mandando para campo inclusive o estreante James McCarthy, mas foi o Brasil que aumentou a pressão. O defesa Michel Bastos quase fez o segundo gol após um feroz ataque que se seguiu a um passe de Robinho. Daniel Alves, do Barcelona, também quase marcou momentos depois de entrar em campo. Robinho chegou a marcar aos 68 minutos, mas o golo foi invalidado porque o brasileiro estava em fora de jogo.

Logo depois, Robinho finalmente comemorou ao concluir uma bela jogada no 76º minuto. Após uma longa troca de passes, Robinho recebeu a bola de Kaká e passou para Grafite, que devolveu de calcanhar para Robinho finalizar contra o golo de Given.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!