Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Bispos católicos indignados com mega-projectos

Os bispos católicos em Moçambique juntaram a sua voz às críticas que até então vinham de economistas, académicos, deputados da oposição parlamentar sobre os benefícios que os chamados mega projectos trazem para o país.

Segundo o jornal Canalmoz, numa carta pastoral tornada pública esta segunda-feira os bispos católicos de Moçambique manifestam preocupação com o nível de ganhos que o país tira dos lucros dos grandes projectos. “Um dos benefícios apontados pelos donos e pelas nossas autoridades é o emprego, mas na realidade é necessário que reflictamos seriamente para saber quem é que na verdade ganha com os mega projectos e o que é que realmente se ganha”, lê-se na carta pastoral. Os bispos afirmam que o povo moçambicano e o país estão a perder com o que se está a passar.

Ainda de acordo com o jornal Canalmoz, os bispos católicos acusam os grandes projectos de não estarem a cumprir com as promessas iniciais e dizem que ninguém os faz cumprir Os bispos dizem que há necessidade de alterar-se o quadro e futuramente avaliar-se as consequências negativas de cada mega projecto, antes da sua implantação. Os partidos da oposição parlamentar e conceituados economistas moçambicanos há muito que estão a reclamar a revisão dos contratos com os mega-projectos.

O governo que começou por rejeitar a ideia está agora a equacionar essa possibilidade tendo em conta o que o primeiro-ministro Aires Ali disse recentemente no Parlamento. Entretanto, vozes anónimas da sociedade civil comentam que o Governo tem andado a tentar evitar rever os contratos dos mega-projectos porque, alegadamente, qualquer acção poder vir a comprometer interesses privados de governantes acobertados em acções de capital nos referidos projectos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!