Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Bird prevê recuo de 1,7% do PIB do planeta em 2009

O Produto Interno Bruto (PIB) do planeta deve sofrer contração de 1,7% em 2009, a primeira desde a II Guerra Mundial, em razão de uma queda de 2,9% da atividade nos países mais ricos, segundo as novas previsões do Banco Mundial (Bird) publicadas nesta terça-feira.

Em novembro, a organização previa ainda um crescimento mundial de 0,9% para 2009, mas havia indicado no início do ano que o planeta sofreria uma recessão, o que ainda não havia ocorrido no pós-guerra.

Esta é a primeira vez que o banco divulga o valor desta recessão. Nos países em desenvolvimento, o crescimento deve amargar uma forte desaceleração, mas permanecerá positivo, a 2,1%, contra 5,8% em 2008, indicou o Banco Mundial, se declarando muito preocupado com as consequências sociais e humanas da crise nestes países.

O Bird previa ainda um crescimento de 4,4% em novembro para os países em desenvolvimento, mas teve de rever este dado em forte baixa “devido à deterioração rápida da situação econômica e financeira em escala mundial”.

“Além disso, se tirarmos a China e a Índia, o crescimento passa a ser nulo para estes países”, declarou à imprensa Justin Lin, chefe dos economistas e vice-presidente do Bird. Segundo ele, os países em desenvolvimento, fora a Índia e a China, devem registrar “um queda de sua renda real de 1,5% este ano”, devido a seu aumento demográfico.

O Banco indicou também uma queda histórica do volume do comércio mundial de bens e serviços em 2009, de 6,1% em relação a 2008, provocada pela queda ainda mais forte das trocas de produtos manufaturados.

“Esta é a contração mais forte em 80 anos, ou seja, desde a Grande Depressão que após a crise de 1929, segundo Lin. O presidente do Bird, Robert Zoellick, anunciou, de Londres, onde está para uma reunião do G20 quinta-feira, que o Bird vai criar um fundo de 50 bilhões de dólares para sustentar o comércio internacional.

“Eu espero que os dirigentes do G20 apoiem esta iniciativa para o comércio. O apoio do G20 nos dará mais dinamismo, para atingir as metas fixadas pelo primeiro-ministro Gordon Brown”, declarou Zoellick.

Se a economia dos países em desenvolvimento deve crescer em 2009, o Banco espera uma recessão para a região da Europa do leste e Ásia central, cujo PIB deve cair 2%, puxado por Rússia (-4,5%) e a Turquia (-2,0%), assim como para a região da América Latina e Antilhas, cujo PIB deve recuar 0,6%.

Nesta zona, o PIB do México deve recuar 2%, o da Argentina, 1,8%, enquanto que o do Brasil subiria 0,5%. “Em todos os países em desenvolvimento, constatamos os efeitos da recessão sobre os mais pobres”, comentou Lin.

Para ele, trata-se “simplesmente de uma crise de desenvolvimento, que pode reduzir a nada anos de progresso”. Para 2010, o banco espera uma retomada da economia mundial, que deve crescer 2,3%. Mas esta previsão é “muito incerta”.

“De fato, é uma retomada muito fraca devido à queda de 2009”, declarou Hans Timmer, diretor da equipe encarregada da análise das tendências econômicas mundiais no Bird.

Para ele, “mesmo que o crescimento volte a ser positivo em 2010, a produção continuará fraca, as tensões orçamentárias continuarão aumentando, e os níveis de desemprego também continuarão aumentando em quase todos os países durante uma boa parte de 2011”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!