Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Benfica com o melhor ataque dos últimos 14 anos

O Benfica, de Jorge Jesus, apresenta o melhor ataque da Liga portuguesa de futebol à passagem do Natal dos últimos 14 anos, ao somar 38 golos em 14 jornadas, à média de 2,71 tentos por encontro. Em termos absolutos, a versão 2009/2010 do conjunto “encarnado” apenas é batida pela equipa do FC Porto de 1995/96, que, sob a liderança do recentemente malogrado inglês Bobby Robson, passou a quadra com 39 tentos.

O conjunto “azul e branco” tinha, porém, cumprido mais uma jornada – após 14 somava 37 -, num registo que impressiona ainda mais pelos escassos dois sofridos – só Ouattara, de um Sporting comandado por Carlos Queiroz, e Lewis, de um Felgueiras de Jorge Jesus, haviam marcado a Vítor Baía.

Depois desse FC Porto mais nenhuma equipa conseguiu, mesmo com mais encontros disputados, chegar aos actuais 38 do Benfica, que soma cinco triunfos por quatro ou mais golos de diferença (8-1 ao Vitória de Setúbal, 6-1 ao Nacional, 5-0 ao Leixões e 4-0 à Académica, na Luz, e 4-0 ao Belenenses, no Restelo).

Os melhores registos, desde então, aconteceram em 1998/99 (37 do FC Porto, em 16 jogos), 2001/2002 (36 do Sporting, em 16) e 2003/2004 (36 do FC Porto, em 15). No que respeita em exclusivo ao Benfica, é preciso recuar a 1990/91 para encontrar, no Natal, um ataque tão produtivo: 39 golos, mas em 18 encontros.

Em termos de média, só é preciso recuar mais um ano, à temporada 1989/90: após 13 jornadas, o “onze” comandado pelo sueco Sven-Goran Eriksson já contabilizava 40 tentos. Em termos individuais, o paraguaio Óscar Cardozo, avançado do Benfica, apresenta, com 14 golos, o melhor registo desde 2001/2002, época em que Mário Jardel, então no Sporting, chegou ao Natal com 19 tentos, em 16 rondas.

Depois do inigualável Jardel, os melhores registos natalícios pertencem aos luso-brasileiros Derlei (FC Porto), em 2003/2004, e Liedson (Sporting), em 2004/2005, e a Nuno Gomes (Benfica), em 2005/2006, todos com 12 tentos, os dois primeiros em 15 jornadas e o avançado português em 16. Cardozo, que lidera a tabela dos goleadores com mais cinco tentos em relação ao brasileiro Edgar Silva (Nacional), procura tornar-se o primeiro jogador do Benfica a vencer, a solo, o prémio de melhor marcador desde que Rui Águas o conseguiu em 1990/91, com 25 golos. Depois disso, Simão conseguiu encabeçar a lista em 2002/2003, mas em igualdade (18 golos) com o senegalês Fary (Beira-Mar), que arrecadou os diversos prémios atribuídos pelos jornais por ter efectuado menos encontros.

Se conseguir arrebatar o título de melhor goleador, Cardozo junta-se ainda, entre os “encarnados” a Julinho, José Águas, José Torres, Eusébio, Artur Jorge, Jordão, Nené, Vata e Magnusson, último benfiquista a atingir os 30 golos (33)

– Melhor ataque e melhor marcador no Natal desde 1995/96:

Época Jor. Clube Golos Melhor marcador

09/10 14 Benfica 38 Cardozo (Benfica),

14 08/09 12 Benfica 24 William (Paços de Ferreira),

8 07/08 14 Benfica 25 Lisandro (FC Porto),

11 06/07 14 FC Porto 32 Hélder Postiga (FC Porto),

9 05/06 16 FC Porto 28 Nuno Gomes (Benfica),

12 04/05 15 Sporting 33 Liedson (Sporting),

12 03/04 15 FC Porto 36 Derlei (FC Porto),

12 02/03 15 Benfica 33 Simão (Benfica),

10 01/02 16 Sporting 36 Jardel (Sporting),

19 00/01 15 FC Porto 34 Pena (FC Porto),

14 Boavista 34 99/00 15 FC Porto 33 Jardel (FC Porto),

21 98/99 16 FC Porto 37 Jardel (FC Porto),

17 97/98 14 FC Porto 32 Jardel (FC Porto),

16 96/97 13 FC Porto 28 Jardel (FC Porto),

10 95/96 15 FC Porto 39 Domingos (FC Porto), 15 /PRE

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!