Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Basquetebol: Locomotivas regressam às vitórias em Maputo

Basquetebol: Locomotivas derrotam alvinegros e consolidam a liderança em Maputo

Depois de ver a sua senda vitoriosa interrompida na ronda anterior, os locomotivas regressaram aos triunfos. Em partida da oitava jornada do Torneio de Abertura da Cidade de Maputo, o Ferroviário de Maputo, campeão em título, derrotou o Maxaquene por 74 a 50. No outro encontro , referente à mesma ronda, a Universidade Pedagógica bateu o Desportivo de Maputo pela marca de 70 a 62.

Na partida que teve lugar no pavilhão do Desportivo de Maputo, a equipa de Horácio Martins entrou determinada a resolver o jogo logo nos primeiros instantes face a um Maxaquene, renovadíssimo, que nos dois primeiros períodos não teve arte, muito menos pujança, para parar as investidas de Manuel Ubisse e companhia.

Os locomotivas, liderados pelo base-armador, Hermelindo Novela, logo que o árbitro deu ordem para que se iniciasse a partida, com o lançamento da bola para o ar, tomaram as rédeas do jogo. Por seu turno, os tricolores, com uma equipa reformada, não possuíam argumentos para contrariar o favoritismo dos campeões em título.

Os dez minutos iniciais tiveram um claro domínio do Ferroviário de Maputo, que marcou 23 pontos, contra apenas sete do Maxaquene. O extremo, Manuel Ubisse, também conhecido nos meandros desportivos por Mano, foi o destaque, nesta fase do jogo, ao converter 10 pontos e três ressaltos; nas as hostes tricolores, Sika Kuko, com quatro pontos, foi a unidade mais produtiva.

No segundo período, em desvantagem, a formação tricolor, que era a anfitriã do jogo, tentou, mas sem sucesso, dar a volta ao marcador, porém, encontrava pela frente uma armada locomotiva que queria redimir-se da derrota sofrida na ronda anterior diante do Costa do Sol.

Ao contrário do sucedido no período inicial, o segundo e último da primeira parte, foi mais equilibrado. Nesta fase de jogo, o Maxaquene lutava para reduzir a desvantagem de modo a assaltar a liderança no marcador na etapa complementar, mas os comandados de Horácio Martins estavam na mó de cima, o que fez com que as aspirações dos donos da casa fossem sol de pouca dura.

Neste período, os tricolores exploravam, mais, as jogas exteriores para reduzirem a desvantagem, mas os seus atiradores não estavam com a pontaria afinada, que o diga Anderson Macamo, que falhou quatro tentativas na linha dos 6 e 25m. A primeira parte acaba com o resultado de 43 a 22, ou seja, nesta etapa o Ferroviário de Maputo marcou 20 pontos, mais três que o Maxaquene, que em comparação com o primeiro período subiu de rendimento.

No que às individualidades diz respeito, Manuel Ubisse, com 14 pontos e cinco ressaltos, foi a melhor unidade da formação locomotiva, enquanto João Judiasse foi o destaque dos anfitriões ao contabilizar oitos pontos e quatro ressaltos.

Nem a ousadia de Abel Hassane salvou os tricolores

No reatamento, o Maxaquene entrou transfigurado e soube, nos primeiros instantes, aproveitar a apatia dos locomotivas, que diferentemente do que aconteceu no primeiro período, não tiveram um excelente arranque. Os tricolores, nesta fase, criaram diversas dificuldades ao seu oponente, uma vez que o treinador locomotiva havia prescindido dos préstimos dos seus melhores jogadores para dar conceder mais tempo de jogo aos menos utilizados no decorrer da época, todavia, a estratégia de Horácio Martins não surtiu efeito porque o Maxaquene estava melhor no jogo.

O terceiro período foi o mais equilibrado, visto que os tricolores tudo fizeram para passar para a frente do marcador. Apesar do aparente domínio dos anfitriões, os locomotivas, que nesta fase andavam a leste dos acontecimentos, voltariam a sair em vantagem no marcador mas, nesta etapa, concretizaram menos pontos em comparação com o seu rival, ou seja, o Maxaquene marcou 19 pontos, menos sete que o Ferroviário.

À entrada do quarto e derradeiro período, o marcador assinalava 55 a 41 a favor do emblema locomotiva. Apercebendo-se da estratégia do seu adversário, Horácio Martins fez voltar ao jogo as suas melhores unidades o que, de certa forma, tornou o encontro mais animado. Com a entrada de Hermelindo Novela e companhia, a locomotiva ficou transfigurada, mas o Maxaquene não se deixou intimidar, continuava a procura da vitória. Nesta etapa as duas equipas empenharam-se até ao extremo para sair do pavilhão do Desportivo com os dois pontos.

O Ferroviário de Maputo redimiu-se da pálida imagem deixada no terceiro período, uma vez que conseguiu marcar mais pontos em relação aos tricolores. Os locomotivas converteram 19 pontos contra nove do Maxaquene. A partida terminou com o resultado de 74 a 50 a favor da equipa de Horácio que regressou, assim, aos triunfos depois do desaire na ronda anterior.

Manuel Ubisse, com um registo de 21 pontos e sete ressaltos, foi eleito a melhor unidade em campo, enquanto Abel Hassane, que averbou 12 pontos, foi o destaque da turma tricolor.

UP, com a mão dos árbitros, derrota Desportivo

Na outra partida referente à mesma jornada, o Desportivo de Maputo foi derrotado pelo conjunto da Universidade Pedagógica por uma diferença de nove pontos, ou seja, 62 a 70, numa partida em a equipa da arbitragem roubou o protagonismo aos jogadores.

Foi um embate equilibrado, sobretudo na primeira parte, uma vez que as duas equipas saíram para o intervalo separadas por um ponto, 30 a 29, a favor dos alvinegros. O Desportivo, que não contou com os préstimos de David Canivete Júnior, apesar dos trinta pontos conseguidos na etapa inicial, foi bastante perdulario em baixo das tabelas, seja a defender assim com a atacar.

No reatamento, a Universidade Pedagógica entrou muito motivada, criando vários problemas ao seu rival. Nesta fase de jogo, a dupla de arbitragem destacou-se pela negativa ao expulsar o base-armador, Pio Matos, por ter reclamado uma decisão da arbitragem.

Além desta medida, os dois juízes tudo fizeram para beneficiar a UP, apitando falta inexistentes, o que levava os jogadores daquela formação aos lançamentos livres. Nesta fase do jogo, os alvinegros marcaram 32 pontos contra 41 dos universitários que venceram pela marca de 70 a 62.

Por ter contabilizado 22 pontos e oito ressaltos, Augusto Matos foi eleito o homem do jogo.

Já no sábado, a contar para a nona jornada, o Costa do Sol derrotou a formação da A Politécnica por 74 a 62, o Maxaquene bateu o Desportivo pelo resultado de 74 a 48, enquanto a partida entre o Aeroporto e o Ferroviário não foi realizada devido à forte chove que caía na cidade de Maputo na tarde de sábado (6).

Costa do Sol derrota A Politécnica em femininos

No que aos femininos diz respeito, na única partida realizada, o Costa do Sol, que na jornada passada quebrou a invencibilidade do Ferroviário de Maputo, derrotou o conjunto da A Politécnica por um ponto de diferença, ou seja, 68 a 67.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!