Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Basquetebol: Locomotivas derrotam alvinegros e consolidam a liderança em Maputo

Basquetebol: Locomotivas derrotam alvinegros e consolidam a liderança em Maputo

O Ferroviário de Maputo fez mais uma demonstração da sua superioridade no que diz respeito à modalidade da bola ao cesto na capital do país. Em partida da 10ª jornada do Torneio de Abertura da Cidade de Maputo, os locomotivas derrotaram o Desportivo, também de Maputo, pela marca de 58 a 55, no pavilhão dos alvinegros, em jogo da 10ª jornada. Na outra partida referente à mesma ronda, o Costa do Sol derrotou o Maxaquene por 60 a 54.

O confronto entre os alvinegros e locomotivas foi uma excelente publicidade para o basquetebol moçambicano. Mas não podemos dizer o mesmo da organização do embate, uma vez que não havia aparelhos para assinalar 24 segundos e tinha-se que se controlar o tempo de ataque com base num cronómetro manual. O Desportivo soube explorar o factor casa ao assumir as rédeas de jogo logo que se arremessou a bola para o ar. Por seu turno, a equipa de Horácio Martins, como tem sido habitual, não tremeu, continuando a explorar as jogadas exteriores.

Se por um lado estava Pio Matos, considerado um dos melhores bases-armadores do basquetebol moçambicano da actualidade, na outra ala estava Hermelindo Novela que para qualquer cidadão atento, que acompanha o basquetebol em Moçambique, é uma das melhores unidades que a modalidade da bola ao cesto produziu na última década. Diga-se, este foi um confronto entre os organizadores de jogo das duas formações.

No primeiro período, a equipa de Miguel Majui entrou na mó de cima e converteu seis pontos num espaço de quatro minutos, todavia, o Ferroviário de Maputo não permitia que os alvinegros se agigantassem no marcador, o que, de certa forma, tornou a partida mais animada. Os alvinegros, que estavam reféns da inspiração dos irmãos Augusto e Pio Matos, não conseguiram manter-se em vantagem até ao final da etapa inicial, uma vez que no final do mesmo, o Ferroviário de Maputo vencia pelo resultado de 18 a 13.

Nesta fase, Edson Monjane com um total de seis pontos e cinco ressaltos, dois quais dois defensivos e três ofensivos, foi a unidade mais produtiva dos locomotivas, enquanto Pio Matos, por ter convertido cinco pontos, foi o destaque da formação do Desportivo. No segundo período, os pupilos de Miguel Majui entraram transfigurados e, volvidos três minutos após o reatamento, conseguiram igualar a partida a 23 pontos.

O Ferroviário de Maputo, nos instantes iniciais deste quarto do jogo, andou a leste dos acontecimentos, ou seja, quer na defesa, quer no ataque, não conseguia parar a armada alvinegra liderado por Augusto Matos. Com a entrada de Paulo no lugar de Orlando Nhatitima, o Desportivo cresceu mais na partida, mas, nos últimos minutos, deste período, Manuel Ubisse, na linha dos 6 e 25 metros, garantiu que o conjunto liderado por Horácio Martins saísse para o intervalo em vantagem.

35 a 33 era o resultado no final dos dois primeiros períodos. Nesta etapa, os alvinegros, por terem marcado 20 pontos, mais três que o seu rival, foram a equipa mais produtiva. Sam Walker foi o destaque ao apontar sete dos vinte pontos da equipa de Miguel Majui, enquanto para as hostes locomotivas o destaque coube a Manuel Ubisse, com seis pontos e dois ressaltos.

Um jogo disputado até ao extremo

No reatamento, ou seja, no terceiro período, o Desportivo de Maputo entrou determinado a mudar o rumo dos acontecimentos, mas encontrou pela frente uma armada locomotiva que queria continuar com a sua saga vitoriosa. Nesta fase de jogo, para assaltar a liderança do marcador, o técnico alvinegro mudou de estratégia.

Em vez das jogadoras interiores, os anfitriões exploravam, mais, as jogadas exteriores, também conhecidas por jogadas de três pontos, mas esta estratégia foi “sol de pouca dura”, por culpa da marcação à zona do Ferroviário que anulava por completo os atiradores do conjunto liderado por Miguel Majui. No terceiro período, apesar de ter sido caracterizado pelo equilíbrio, as duas equipas baixaram de rendimento em relação ao segundo.

Nesta etapa, as duas formações marcaram 25 pontos, ou seja, o Desportivo converteu 13 pontos, mais um que o conjunto locomotiva. Paulo Sambo e Manuel Ubisse, todos com seis pontos, dividiram o protagonismo. À entrada do último quarto da partida, os dois conjuntos estavam separados por dois pontos, ou seja, 48 a 46, a favor da formação liderada por Horácio Martins.

Os alvinegros, que estavam proibidos de perder sob o risco de deixarem fugir o duo da frente, Ferroviário e Costa do Sol, tudo fizeram para sair da quadra com os dois pontos, mas no basquetebol, ganha a equipa que marcar o número de pontos. Nesta fase, o jogo era disputado numa toada de ataque e resposta, ou seja, a equipa que atacava era perigosamente respondida. Os dois conjuntos, por causa da ansiedade dos seus atletas, neste período, cometeram muitos turn-overs.

Os locomotivas comandados pelo base-armador, Hermelindo Novela, a dois minutos do final do derradeiro período estavam a vencer por uma diferença de oito pontos, mas o Desportivo não se deu por vencido, continuando a lutar para, no mínimo, levar a partida para o prolongamento, visto que no basquetebol, em caso de empate, recorre-se a um prolongamento de dez minutos de modo a desfazer-se a igualdade.

O inconformismo dos irmãos Matos, Pio e Augusto, não foi suficiente para que os alvinegros regressassem aos triunfos, uma vez que na jornada anterior foram derrotados pelo Maxaquene. Apesar de ter sido a formação mais produtiva do quarto período, 12 pontos contra sete do Ferroviário, o Desportivo de Maputo perdeu por dois pontos de diferença, ou seja, 58 a 55. Manuel Ubisse, por ter marcado 19 pontos e contabilizado seis ressaltos, foi eleito a melhor unidade em campo, enquanto Augusto Matos, com 13 pontos, foi o destaque dos alvinegros.

Costa do Sol imparável

OS canarinhos continuam com a sua saga vitoriosa na presente edição do Torneio de Abertura da Cidade de Maputo. A equipa de Milagre Macome soma triunfos nas últimas três jornadas. A contar para a 10ª ronda, o Costa do Sol derrotou o Maxaquene pela marca de 60 a 54, diga-se, numa partida em os tricolores tudo fizeram para sair do seu pavilhão com os dois pontos, mas Baggio Chimondzo e companhia mostraram que são candidatos a ter em conta na luta pelo título da presente edição do Torneio de Abertura da capital do país. Volvidas dez jornadas, o Ferroviário de Maputo lidera a prova com um total de 17 pontos, mais dois que o segundo classificado, o Maxaquene. O Desportivo completa o terceiro e último lugar do pódio com 14 pontos.

UP e Costa do Sol triunfam em femininos

Já no que aos femininos diz respeito, a formação da Universidade Pedagógica derrotou o Desportivo de Maputo por 16 pontos de diferença, ou seja, 44 a 28, numa partida em que as pedagógicas tiveram um claro domínio. No final da primeira parte as alvinegras, que andavam a leste dos acontecimentos, perdiam por 26 a 11. Na outra partida, referente à mesma ronda, o Costa do Sol venceu o Maxaquene pelo resultado de 37 a 24 e somou a quarta vitória consecutiva na competição.

Quadros de resultados

Masculinos

Desportivo de Maputo 55 – 58 Ferroviário de Maputo

Maxaquene 54 – 60 Costa do Sol

Femininos

Maxaquene 24 – 37 Costa do Sol

Desportivo 28 – 44 Universidade Pedagógica

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!