Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Basescu e Geoana buscam alianças para o 2º turno

O actual presidente Traian Basescu e seu adversário social-democrata Mircea Geoana, que foram os mais votados no primeiro turno da eleição presidencial na Roménia, iniciarão delicadas negociações com os candidatos derrotados para o segundo turno de 6 Dezembro.

Segundo os resultados parciais do Escritório Eleitoral Central, Basescu tem uma leve vantagem sobre Geoana, com 32,82% dos votos, contra 29,82%. Em terceiro aparece o liberal Crin Antonescu, com 20,35%. Outros nove candidatos receberam no conjunto 17% dos votos. Os liberais do PNL (oposição de centro-direita) se encontram mais uma vez na posição de árbitros, dispostos a uma aliança com quem oferecer mais, segundo os analistas.

“Uma simples frase dirigida por Antonescu aos eleitores não contará muito, mas o anúncio de uma aliança com o PDL (de Basescu) ou o PSD, ou ainda a formação de um governo de coalizão com ministérios importantes atribuídos ao PNL, pode mobilizar o eleitorado liberal”, opinou o comentarista Dan Turturica, do jornal Romania Libera. Em uma referência irônica aos que acreditam que as ordens dos líderes serão seguidas pelo eleitorado, o que chamou de “cálculos ilusórios”, o porta-voz do atual presidente, Server Voinescu, afirmou que o PDL não entrará em “jogos políticos”. “A proposta real do segundo turno é clara: continuar as reformas com Traian Basescu ou voltar à Romênia de Ion Iliescu”, declarou, em referência ao presidente social-democrata acusado de ter retardado a modernização do país.

Mas Basescu e vários simpatizantes já ressaltaram após o primeiro turno a “vitória da direita” e destacaram que os políticos terão que levar em consideração a opinião do eleitorado romeno na formação do governo. Adrian Nastase, candidato derrotado por Basescu em 2004, declarou que o PSD deve elaborar uma estratégia para atrair os votos dos eleitores dos outros candidatos. Também na mira dos vitoriosos do primeiro turno está a União Democrática dos Magiares (UDMR), que representa os 1,4 milhão de húngaros (6% da população) e cujo eleitorado tem fama de disciplinado.

O candidato do partido, Hunor Kelemen, recebeu 4% dos votos no domingo. Fontes do partido afirmam que a opção da UDMR dependerá da vontade dos candidatos de resolver os problemas dos magiares e de modificar determinadas leis, para conceder os direitos reclamados por esta comunidade. Com exceção do governo PDL-PSD formado depois das legislativas de dezembro de 2008, desde 1996 a UDMR foi aliado do governo, independente da orientação política do partido no poder.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!