Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Barbie chega aos 50 anos em crise

Barbie chega aos 50 anos em crise

Acusada de deformar a imagem da mulher entre as meninas e favorecer a anorexia, ameaçada pela concorrência e pela queda brutal das suas vendas, a boneca Barbie chega aos 50 anos no meio de muitas dificuldades.

Nascida como Barbara Millicent Robert em 9 de Março de 1959, em Willows, em Wisconsin (norte), a boneca-manequim de 29 centímetros de altura, pernas longas e seios salientes para parecer natural, bateu todos os recordes depois de ter causado polémica numa Feira de brinquedos naquele ano em Nova Iorque.

Com 300.000 exemplares em 1959, este brinquedo – hoje o mais vendido no mundo, segundo as pesquisas de mercado -, inspirou mais de 70 estilistas, entre eles os mais famosos. O seu fã-clube tem 18 milhões de membros, ela aparece no Facebook e no MySpace, além de ter revolucionado o mundo das crianças e também dos pais que tentaram, em vão, resistir a ela.

Muitas mulheres sonharam ter uma Barbie até a idade adulta e muitas mães de família orgulham-se da sua colecção.

O fabricante de brinquedos Mattel, pai da Barbie, acaba de assinar um contrato com a Associação dos Estilistas americanos. A sua presidente, Diane von Furstenberg, vê na Barbie uma mulher independente e confiante, dotada de uma enorme capacidade para se divertir sem perder a elegância.

A editora Assouline está a publicar uma obra chamada “Barbie”, que será vendida a 500 dólares e mostrará a boneca loira de Prada, Karl Lagerfed e Alexander McQueen.

Para as suas 108 profissões, a Barbie teve todas as roupas e acessórios combináveis, 1 bilião de roupas segundo o seu site oficial, principalmente um uniforme aprovado pelo Pentagone para o seu alistamento no exército americano em 1989.

Depois dos seus “looks” à la Grace Kelly dos anos 1960, ela vestiu de Woodstock nos anos 1970, tornou-se mulher de negócios nos anos 1980 e chegou à Casa Branca em 1992. Em seguida, chocando o público, ela rompeu o relacionamento com o seu noivo Ken, em 2004.

Mas, além de sua vida de casal, a própria Barbie está em perigo. As suas vendas caíram em 2008, pelo sétimo ano consecutivo, depois do surgimento da sua concorrente Bratz, uma boneca que mostra o umbigo, o que a Barbie só passou a ter em 2000.

A Mattel considera ter os direitos deste produto, criado por um antigo funcionário e lançado em 2001 pela MGA Entertainement. Os processos, ora dão vitória a um, ora dão vitória a outro.

E, para piorar ainda mais a situação, Barbie e o seu fabricante terão de enfrentar o lançamento iminente de “Toy Monster: The Big, Bad World of Mattel” (“O monstro dos brinquedos: o grande e malvado mundo da Mattel”, numa traduçãol livre). O autor deste livro, Jerry Openheimer, revela, entre outras coisas, a vida sexual de Jack Ryan, o engenheiro que criou a Barbie e o Ken.

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!