Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Auditorias do MINAG chegam às províncias

A Direcção de Administração e Finanças do Ministério da Agricultura está a intensificar o trabalho de supervisão com vista a montar equipas de controlo interno junto das direcções provinciais de Agricultura, até no segundo semestre do ano em curso.

Esta informação foi avançada, pelo Coordenador do Programa Nacional de Desenvolvimento Agrícola, PROAGRI, Fernando Songane, sem no entanto revelar as razões que estão por detrás desta medida, tendo salientado na ocasião que o trabalho em curso deverá se prolongar sensivelmente até finais do ano em curso.

“A Direcção de Administração e Finanças, intensificou o trabalho de supervisão com ênfase nas províncias.

O prazo terá de ser alargado para meados ou finais do corrente ano, a nível das direcções provinciais de agricultura, está em curso o processo de reforço do controlo interno, tendo algumas criando gabinetes de inspecções”, disse.

Sublinhou que a acção de afectação de quadros capazes para estes locais está a ser dificultada pela saída de técnicos, situação que afectou também a inspecção geral, numa altura em que se estava a trabalhar nessa perspectiva.

Songane que falava, durante a apresentação do plano de implementação do PROAGRI, afirmou que no âmbito de asseguramento, gestão e sustentabilidade do Arco- Iris por técnicos do ministério, está em curso a implementação do SISTAFE.

Sobre o cadastro do património do MINAG e definição de procedimentos de gestão patrimonial, a fonte disse que já foi efectuado o levantamento de todo património, referindo que a documentação respectiva está numa fase conclusiva da sua elaboração, facto que acontece devido a demora verificada no envio de informação por parte de algumas instituições. Sobre o pacote do património do MINAG, o Diário do País soube que foi igualmente formulado o pacote informático para gestão do mesmo.

“Com a entrada em vigor do novo classificador, este pacote vai necessitar de ser ajustado. O MINAG já identificou os técnicos a ser formados para a utilização deste pacote” reconhecendo que um dos constrangimentos é a falta de computadores que obedecem as especificações próprias elaboradas pelo DAF.

No que toca à implementação do plano de acção para a produção de alimentos, disse que existe uma comissão interministerial presidida pelo Ministério de Planificação e Desenvolvimento, onde estão integrados os ministérios que têm um papel importante para o sucesso do mesmo. Esta comissão, reúne-se, em média uma vez por mês e constitui o fórum ideal para a coordenação que se pretende.

“A articulação com as províncias ainda não tem os resultados desejados, a conclusão do cenário de despesas de médio prazo é crucial”, disse.

Falando sobre os serviços de assistência veterinária aos efectivos pecuários, disse que em relaçao ao último ano, registou-se, uma melhoria significativa em relação as principais vacinações (mais de 100 porcento em relação aos carbúnculos, a doença de NewCastle, e, cerca de 61,5 porcento em relação á raiva.

“Houve um esforço na edificação de novas infra-estruturas pecuárias, três tanques caricicidas, três farmácias rurais e um matadouro e na melhoria de vigilância epidimiológica através da investigação de algumas doenças suspeitas da declaração obrigatória e da circulação da informação sanitária”, disse acrescentando que o processo de formulação de programas nacionais está em curso, esperando-se que até 31 de Maio próximo se conclua o controlo da tuberculose, brucelose, raiva, doenças transmitidas por caraças e vacinações e controle da peste suína africana.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!