Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ativistas pró e anti-gay russos são presos depois da proibição de manifestações

A polícia russa deteve cerca de 30 activistas pró e anti-gay no centro de Moscovo, Sábado (25), aplicando a proibição sobre manifestações pelos direitos dos homossexuais.

As prisões, que ressaltam a dura resposta da Rússia a manifestações públicas por parte de grupos gays, coincidiu com a primeira marcha gay na vizinha Ucrânia, que foi autorizada pelas autoridades e protegida pela polícia.

O Parlamento russo deu aprovação preliminar para a proibição da “propaganda homossexual” dirigida a menores, que os críticos dizem que na prática banirá manifestações pelos direitos gays.

A legislação provocou condenação do exterior, mas o presidente Vladimir Putin rejeitou as críticas, dizendo que a Rússia não discrimina os homossexuais.

A base tradicional de apoio de Putin está entre os eleitores conservadores, incluindo os membros da Igreja Ortodoxa Russa, alguns dos quais apareceram para mostrar a sua desaprovação à manifestação de Sábado.

Algumas dezenas de activistas dos direitos gays reuniram-se em frente ao prédio da Duma, a Câmara dos Deputados da Rússia, assim como numa praça nas proximidades.

“É um ultraje que não permitam uma parada gay … mas eu estou contente que não houve conflitos, como na Geórgia”, disse Alexander Asman, que se descreveu como um simpatizante gay e um observador, poucos minutos antes de ser detido pela polícia.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!