Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Muitas armas de fogo nas mãos de malfeitores na capital de Moçambique

Um cidadão que responde pelo nome de Jamilo, de 43 anos de idade, foi recolhido às celas de uma das subunidades da Polícia da República de Moçambique (PRM) em consequência de ter sido surpreendido com uma pistola de marca ROLET, nº1991, carregada com sete munições, roubada de um vigilante da empresa segurança privada chamada SÓ PROTECÇÃO, no período de 10 a 16 de Maio em curso, na capital moçambicana.

A corporação não forneceu detalhes sobre o caso em alusão. Contudo, avançou que dois jovens chamados Egas e Abubacar, de 28 e 35 anos de idade, ambos vigilantes da empresa de segurança privada MOSEG, estão, também, a ver o sol aos quadradinhos na 14ª esquadra, acusados de posse ilegal de uma arma de fogo de marca BROWING, nº 06747, contendo 10 munições.

No mesmo período, a Polícia deteve um moçambicano chamado Délcio, de 25 anos de idade, por roubo de uma viatura de marca com chapa de inscrição MMI-96-84, no bairro do Chamanculo, em Maputo. Para lograr os seus intentos, de acordo dom a PRM, o suposto meliante ameaçou os ocupantes com recurso a uma arma de fogo.

Outro cidadão identificado pelo nome de Laurindo, de 27 anos de idade, está preso numa das celas da Polícia por roubo de 80 mil meticais num estabelecimento comercial, sito no bairro 25 de Junho, na cidade de Maputo. A corporação assegura que, o cidadão amedrontou também, suas vítimas com uma arma de fogo.

Ainda na cidade de Maputo, a corporação deteve e encarcerou um idoso de 64 anos de idade, por roubo de uma viatura de marca com chapa de matrícula ACS 937 MC. No mesmo período, foram detidos dois membros da PRM identificados pelos nomes de Alberto e Fernando, de 30 e 35 anos de idade, acusados de extorsão de quatro mil meticais a um cidadão chamado Guebo Li, de 39 anos de idade, de nacionalidade chinesa.

Uma jovem chamada Beatriz, de 32 anos de idade, foi presa por ter simulado o seu próprio sequestro com a intenção de obter uma quantia não especificada de um padre católico da Igreja Santo António da Polana, em Maputo.

Refira-se que da República da África do Sul foram repatriados 386 cidadãos moçambicanos, dos quais 356 homens, 27 mulheres e três menores de idade, por entrada ilegal naquele território.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!