Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Apreendida embarcação com 102 imigrandes ilegais

A Polícia da República de Moçambique (PRM) apreendeu uma embarcação com 102 pessoas a bordo, incluindo seis tanzanianos membros da tripulação, no distrito de Palma, província nortenha de Cabo Delgado, que pretendiam entrar ilegalmente no território nacional.

Vasco Lino, comandante provincial da polícia em Cabo Delgado, disse que entre os detidos constam 96 somalis que ficaram retidos em Palma, enquanto os seis tanzanianos, membros da tripulação, foram transferidos para a cidade de Pemba, onde se encontram detidos para mais averiguações. “Os autos-criminais já foram encaminhados para o Ministério Público, entidade que vai levar avante os processos subsequentes. Agora cabe ao Ministério Público continuar, mas para nós não restam dúvidas que os tripulantes serão condenados por crime de violação de fronteira”, disse a fonte citada na edição de hoje do diário independente “O Pais”.

Vasco Lino disse ainda que a embarcação usada no transporte dos ilegais, agora a contas com as autoridades policiais, também encontra-se retida em Palma. Segundo Vasco Lino são poucos os estrangeiros se envolvem em acções criminais na província de Cabo Delgado, sabendo-se apenas que os ilegais usam esta província como ponto de entrada para Moçambique, bem como para a vizinha África do Sul, um dos destinos preferenciais de muitos estrangeiros.

Lino explicou que, maioritariamente, os imigrantes alegam ser refugiados de guerra nos seus países de origem, sendo uma minoria que confessa vir a Moçambique para tentar prosperar na vida.

Por isso, a PRM tem optado por fazer uma triagem para tentar identificar os refugiados genuínos. O comandante fez saber que de Janeiro a esta parte, mais de mil cidadãos dos países da zona dos Grande Lagos, sobretudo da Somália, entraram em território nacional através da fronteira de Cabo Delgado, com estatuto de refugiados de guerra.

“O outro aspecto que motiva a imigração ilegal para Cabo Delgado são as minas de rubi, descobertas no ano passado, no posto administrativo de Nanhumbir, distrito de Montepuez, para onde pessoas oriundas de vários países afluem”, disse Lino.

A província de Cabo Delgado tem sido frequentemente usada como ponto de entrada ilegal de muitos estrangeiros provenientes, na sua maioria, da região dos Grandes Lagos – onde se localizam países como Somália, Etiópia, Congo Democrático, Eritreia, Burundi, Ruanda.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!