Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ana Maria Muhai (1962 – 2013)

Ana Maria Muhai (1962 – 2013)

“A Mulher Coragem de Moçambique”, Ana Maria Muhai, perdeu a vida na madrugada desta terça-feira, 16 de Abril de 2013, vítima de cancro. Tornou-se uma figura incontornável para os moçambicanos dentro e fora do país por ter sido uma das primeiras pessoas a quebrar o silêncio, ao afirmar que era seropositiva. “Eu não aprendi sobre a SIDA numa associação ou nos livros. Aprendi na minha própria pele. A SIDA sou eu!”, dizia isso, com voz poderosa e tenaz, para dar coragem àqueles que tinham medo de fazer o teste, àqueles que não sabiam que existem anti-retrovirais, àqueles que não queriam ouvir sequer pronunciar a palavra SIDA.

Numa entrevista à PlusNews, em 2006, confidenciou: “Quando fiquei doente e sem força, já ninguém comprava na banquinha de verduras e bebidas que tinha montado perto de casa. Todos me apontavam com o dedo e não compravam os meus produtos por medo de se infectarem”.

Os filhos foram sempre a maior preocupação de Ana Maria. “A discriminação que os meus filhos sofreram foi a minha maior dor. Até não me importava que os vizinhos viessem à minha casa a tocar batuque e a cantar canções sobre a SIDA. Se fosse só por mim, não me importava. Mas os meus filhos… sofreram muito”.

Ana Maria Muhai tornou-se um dos mais importantes e conhecidos testemunhos do DREAM, o programa de luta contra o VIH/SIDA e a má nutrição que a Comunidade de Sant’Egidio leva a cabo em Moçambique desde 2002. Ela foi uma das primeiras pacientes, na casinha da Machava. Não há ninguém que não considere Ana Maria o ícone do DREAM e da luta contra o VIH.

“Conto a minha história, eles podem ver com os seus olhos, que estou bem, que tenho força, que posso trabalhar. E mostro a fotografia de quando pesava 29 quilos. Explico-lhes a importância de cumprir todos os conselhos que os médicos dão, de levar uma vida saudável. E os meus vizinhos agora vêm à minha casa, pedem-me conselhos e até me pedem sal…”, contava ela, sempre que apresentasse o seu testemunho.

Nos últimos dez anos Ana Maria liderou eventos de divulgação e pressionou o Governo a tornar as campanhas nos meios de comunicação mais positivas, disse Leslie Rowe, antiga embaixadora dos Estados Unidos em Moçambique, aquando da entrega do prémio ‘Mulher Coragem de 2012’: “Existem duas maneiras de espalhar a luz – ser a vela ou o espelho que a reflecte. É óbvio para mim que esta mulher é uma vela brilhante, não apenas para os moçambicanos, mas para as pessoas, especialmente as mulheres em todo o mundo.”

Ana Maria Muhai deixa oito filhos crescidos.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!