Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Americanos dominam e russos dominam Mundial de Natacão

Como nos Jogos Olímpicos e no Mundial-2007, o astro Michael Phelps mais uma vez levou a medalha de ouro, com os americanos dominando a prova dos 4×100 m derrotando os russos e os franceses até então favoritos neste domingo no Mundial de Roma. 

A grande vitória, na competição romana, assistida por 12 mil espectadores, havia chegado um pouco antes, com a consagração de Federica Pellegrini, ante as britânicas Joanne Jackson e Rebecca Adlington. A italiana, que completará 21 anos em poucos dias, ganhou o título mundial dos 400m livres com um novo recorde mundial (3:59.15) superando sua própria marca de 27 de junho de 2009 em Pescara, durante a disputa dos Jogos Mediterrâneos (4:00.41). “Esta medalha é maravilhosa, porque é fruto de muito trabalho e eu a mereço. Vale muitíssimo e isto me enche de emoção”, afirmou a vencedora.

Mas, entre os participantes, não faltavam, também, outros tipos de desabafos, como o do recordista da prova rainha, Alain Bernard. “Foi um terceiro lugar decepcionante. Isto desestabilizou-me”, afirmou. 

Favorita para o ouro, a França chegou em terceiro (bronze), com 3m09s89. O Brasil não contava com a arrancada russa, deixando a piscina, no entanto, com a sensação de ter feito todo o possível, com um tempo de 3m10s80, mas caindo para o o quarto lugar. O brasileiro César Cielo chegou a ter um ótimo desempenho, no início do Mundial. Pela manhã, chegou a atropelar Michael Phelps na primeira parcial, mas a equipe americana voltou logo a colocar os Estados Unidos no pódio do Foro Itálico de Roma. “Não estou preocupado … com Phelps, Bernard. A gente baixou o tempo de hoje cedo, mas a Rússia surpreendeu. Este é o Mundial, não importa a raia em que você está. A Rússia nadou melhor hoje à noite, mas estou feliz, comentou Cielo, que volta à piscina na quarta-feira, para os 100m livre.

Já o coreano Park Tae-Hwan, campeão olímpico e do mundo, não participou da final depois de eliminado nas séries. Entre as mulheres, a alemã Britta Steffen bateu o próprio recorde mundial dos 100 metros livres com um tempo de 52 segundos e 22 centésimos, na prova feminina de revezamento 4×100 livres. A marca anterior, também de Steffen, foi de 52.56 registrada em 27 de junho, em Berlim. Apesar do desempenho da alemã, a equipe não conseguiu o ouro, conformando-se com a prata. As vencedoras foram as representantes holandesas (Inge Dekker, Ranomi Kromowidjojo, Frederike Heemskerk e Marlene Veldhuis), que também melhraram seu recorde mundial.

A sueca Sarah Sjostrom quebrou o recorde mundial dos 100 metros borboleta com um tempo de 56.44. O anterior (56.61) havia sido estabelecido pela holandesa Inge de Bruijn, em 17 de setembro de 2000, durante os Jogos Olímpicos de Sydney.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!