Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

África Subsariana vítima da fuga de cérebros

O continente africano sofre uma verdadeira hemorragia sob forma de fuga de cérebros nociva ao desenvolvimento, segundo um relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) à margem da assembleia geral do Banco Mundial/FMI, quarta-feira, em Washington.

Esta preocupante tendência é ilustrada por algumas cifras. Assim, de sete milhões em 2013, o número de trabalhadores africanos qualificados migrados para os países mais ricos poderá passar para 34 milhões em 2030, o que representa um verdadeiro “obstáculo” ao desenvolvimento do continente.

“A fuga dos cérebros é particularmente elevada na África Subsariana” através dum boom migratório intenso por um crescimento rápido da população africana, nota o documento do FMI.

Assim, “a imigração de jovens trabalhadores faz pagar um pesado tributo a uma região com o capital humano já raro”.

O relatório da instituição cita os casos de médicos e de enfermeiras do Malawi e do Zimbabwe, que têm um impacto negativo no plano socioeconómico.

Esta hemorragia dos cérebros africanos atraídos pelas sirenes dos países ricos tem como principais destinos favoritos França, Grã-Bretanha e Estados Unidos da América, que acolhem mais da metade da diáspora da África Subsariana.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!