Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

África do Sul: Voluntários do CAN entram em greve em Port Elizabeth

Um grupo de 30 voluntários envolvidos no Campeonato Africano das Nações, CAN, edição 2013, esteve em greve a poucas horas do jogo dos quartos-de-fi nal entre as selecções de Cabo-Verde e do Gana, que decorreu no último sábado no Estádio Nelson Mandela Bay, na cidade de Port Elizabeth.

 

A polícia acompanhou de perto os manifestantes que entoavam canções e dançavam nas proximidades do recinto. Eles alegam que a Confederação Africana de Futebol (CAF) tinha prometido uma remuneração de cerca de três mil randes depois da formação, que durou cinco dias.

 

Os voluntários, na sua maioria jovens desempregados, têm o CAN como fonte de rendimento.“Eles não nos deram o dinheiro referente à nossa participação na formação. Iniciámos a nossa formação no dia 5 de Janeiro último e esta terminou no dia 16”, disse Themba Tshayingwe, um dos manifestantes.

“Eles (a CAF) prometeram-nos mil randes pela formação, ou seja, 200 randes por dia. Agora dizem que não nos vão pagar, alegadamente porque não são as pessoas indicadas para tal. E nós, como é que ficamos? Quem é que nos vai pagar?”, questiona.

Themba Tshayingwe garante que cerca de 500 voluntários ainda não receberam os seus respectivos subsídios, e muitos deles acabaram por recorrer a empréstimos para poderem deslocar-se ao estádio. “Estamos a usar o nosso dinheiro. Alguns de nós recorreram a empréstimos para custearem o transporte”.

Um outro voluntário, que responde pelo nome de Wonder Mkokeli, assegurou que não iriam trabalhar até que o assunto seja resolvido, e os seus pares chegaram a aventar a hipótese de pedir a intervenção do presidente do município.

“Através de cartas, pedimos ao presidente municipal para intervir, uma vez que este problema é antigo. Não temos dinheiro, somos desempregados. O nosso desejo é continuar aqui, queremos contribuir para o sucesso deste torneio, mas eles não estão a ser sérios”, afirmou Mkokeli.

Entretanto, a Confederação Africana de Futebol (CAF), contactada pelos jornalistas, recusou-se a tecer comentar em torno deste assunto.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!