Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

África do Sul: Três portais governamentais invadidos por piratas

Um ministério e dois departamentos do Governo sul-africano viram os seus portais e páginas da Internet ficar inoperacionais depois de terem sido invadidas por piratas nas primeiras horas do último domingo, dia 9.

O endereço electrónico do Ministério do Desenvolvimento Social, o Population.gov.za, quando visitado, abria uma página em branco com uma janela com um gráfico animado com os dizeres “Página Pirateada pela H4sniper” (tradução para português), que depois se transformava num coração dividido ao meio. Em seguida, aparecia a seguinte mensagem: “Hello South Africa: D, Bad News For You IM BACK!… You Messed Wi(t)h Us & Now You Must Suffer.. From Morocco with love”, (Olá África do Sul :D, más notícias para ti, estou de volta! Subestimaste-nos e agora deves sofrer… de Marrocos, com amor).

Entretanto, a Comissão Nacional Presidencial e a Unidade Nacional da População também tiveram as suas páginas oficiais violadas. A H4ksniper providenciava um link da página do Facebook da conta Haksnipx marroquina, através da qual aceitava mensagens de apoio ao ataque.

Quando questionada sobre as razões por detrás da invasão às páginas de instituições governamentais, a H4kniper dizia, através do emails, que “todos sabemos que a África do Sul é o primeiro simpatizante da República Democrática Árabe Saharaui, RASD, e inimigo (doentio) de Marrocos há anos e nós somos piratas. O nosso propósito é defender o nosso país…”.

Segundo a Wikipedia, uma página de consultas, a RASD, também conhecida pela sigla SADR, nome pelo qual é conhecida a República Democrática Árabe Saharaui, é um país parcialmente reconhecido e que reivindica a legitimidade do Sahara Ocidental, mas que só controla metade do território, denominado Terras Libertadas ou Zona Livre. Já o reino do Marrocos controla e administra o resto do território, ao qual chama de províncias do Sul.

“Não somos piratas negros do mal”

O Governo da África do Sul reconhece o Sahara Ocidental como um território ilegalmente ocupado pelo Marrocos e defende a auto-determinação e independência dos seus residentes.

Num dos emails enviados ao Governo sul-africano, a H4kniper referiu que os seus membros não eram “piratas negros do mal”, e que “nós não temos planos diabólicos nas nossas mentes. Nós somos piratas verdes e defendemos o nosso país e religião!”.

De referir que os piratas negros do mal, quando atacam as páginas electrónicas, destroem toda a informação e propagam vírus no sistema informático, e, geralmente, não revelam as suas motivações.

Saudações a outros piratas

A H4ksniper deixou também uma mensagem de saudação na conta no Facebook da Haksnipx marroquina, aparentemente, destinada a outros piratas.

Sobre o caso, a porta-voz do Ministério do Desenvolvimento Social, Lumka Oliphant, afirmou que já estavam informados do assunto, e que a maior preocupação não era o facto de os piratas poderem ter acesso a informações sensíveis da instituição porque “nenhuma informação sensível consta no nosso portal”.

O referido portal é administrado pela Agência Sul-Africana de Tecnologia e Informação do Estado, SITA. “Contactámos a SITA, e continuamos a aguardar pela resposta desta face ao assunto,” defendeu Lumka Oliphant.

De referir que os portais da Comissão Nacional Presidencial e da Unidade Nacional da População foram restaurados por volta das 14 horas do último domingo.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!