Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Advogado diz que médico não deu analgésico a Michael Jackson

O médico particular de Michael Jackson, Conrad Murray, não deu nenhum analgésico ao cantor antes de sua morte, afirmou este domingo ao Los Angeles Times o advogado do profissional, Edward Chernoff. As informações segundo as quais Murray teria injetado em Michael Jackson um poderoso analgésico pouco antes de sua morte, na quinta-feira, são “totalmente falsas”, garantiu Chernoff.

“Não houve Demerol, nem OxyContin”, afirmou o advogado ao jornal, que publicou as declarações em seu site. O site TMZ.com, que foi o primeiro a anunciar a morte de Jackson, disse que Conrad Murray injetou Demerol no cantor pouco antes de sua morte.

Murray foi ouvido uma segunda vez pela polícia neste sábado, mas o interrogatório não permitiu estabelecer nenhuma “prova flagrante” de sua responsabilidade na morte do “Rei do Pop”, segundo fontes próximas à investigação citadas pelo Los Angeles Times.

O advogado, que estava presente durante o interrogatório, afirmou que Michael Jackson já estava inconsciente quando o médico entrou “por acaso” no quarto do astro. O cantor “não respirava mais”, prosseguiu Chertoff.

Murray “não forneceu nem prescreveu Demerol” a Michael Jackson, insistiu o advogado. Segundo ele, foi o próprio médico que sugeriu à família a realização de uma necropsia. “Ele não entendeu porque Michael Jackson morreu”, afirmou.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!