Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Acusados pelo assassinato de Mido Macia aguardam julgamento em liberdade na África do Sul

Acusados pelo assassinato de Mido Macia aguardam julgamento em liberdade na África do Sul

Os nove agentes da polícia de Daveyton, acusados pelo assassinato do cidadão moçambicano Mido Macia foram colocados em liberdade nesta quarta-feira (14), por um Tribunal de Benoni, na África do Sul, mediante ao pagamento de caução, de cerca de 5 mil randes cada um. O julgamento só deverá acontecer daqui a três meses.

Os agentes da lei e ordem Meshack Malele, Thamsanqa Ncema, Percy Mnisi, Bongumusa Mdluli, Sipho Ngobeni, Lungisa Gwababa, Bongani Kolisi, Linda Sololo e Moteme Ramatlou, foram detidos em conexão com a morte de Macia no dia 26 de Fevereiro de 2013, em tribunal os polícias declararam-se inocentes. Os agentes alegam em sua defesa que Mido Macia havia resistido a detenção, o que culminou com o excesso de zelo por parte da polícia.

Na audiência desta quarta-feira, quando o tribunal aguardava pelas novas evidências em torno do caso, a única informação recebida foi a de existência de um endereço residencial alternativo de um dos acusados. Este foi o terceiro pedido de liberdade sob pagamento de caução dos réus, os dois anteriores haviam sido recusados pelo facto dos acusados poderem vir a interferir nas investigações, sobretudo com as testemunhas que são colegas de profissão.

José Nascimento, advogado da família Macia por indicação das autoridades moçambicanas para monitorar o caso, afirmou que o pai do finado não compareceu perante ao tribunal devido a falta de condições financeiras para a deslocação.

As condições da liberdade provisória ditam a não entrada dos acusados na Esquadra Policial de Daveyton e a não tentativa de contacto às testemunhas.

O julgamento deverá iniciar em Novembro próximo em Delmas, Joanesburgo.

Refira-se que Macia morreu nas mãos da polícia em Fevereiro último, após ter sido brutalmente algemado de costas e arrastado por um veículo policial, em plena luz do dia numa estrada do subúrbio de Daveyton, na região de Ekurhuleni, em East Rand.

Os resultados da autópsia revelaram que o moçambicano foi torturado, com ferimentos nos braços, nos pulsos, na língua e também na sua cabeça e que esses actos violentos terão causado a sua morte.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!