Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Novo Acordo Ortográfico começa a ser debatido em Mocambique

O Estado moçambicano deverá clarificar a sua posição relativa à adopção do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa até Julho de 2012 quando assumir a presidência da CPLP, mas o Conselho de Ministros analisará o estudo final em Outubro.

A previsão foi feita, Terça-feira, em Maputo, pelo coordenador da Comissão Nacional do Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP), Lourenço do Rosário, no arranque do ciclo de seminários para a divulgação e auscultação pública de propostas do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, que Moçambique ainda não ratificou.

Lourenço do Rosário lembrou que, em Julho de 2012, Moçambique acolherá a Cimeira da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) e assumirá a presidência da organização.

“Esta etapa da cimeira é uma das metas para Moçambique clarificar a sua posição sobre (a adocção) do acordo”, disse o coordenador do IILP, citado pela Lusa.

O Governo moçambicano propôs a realização, a partir da Terça-feira, de seminários nas regiões sul, centro e norte, com linguistas, docentes e entidades relevantes, para a colecta de subsídios visando a adesão ao Acordo Ortográfico.

Mas, no encontro da Terça-feira, Lourenço do Rosário disse aos presentes que a ideia “não é apresentar propostas discordantes”, apenas sugestões que levem Moçambique a aderir ao Acordo, “porque o país assumiu compromissos internacionais”.

Os académicos moçambicanos vão aconselhar o Executivo moçambicano para, durante a cimeira da CPLP na capital moçambicana, dizer aos restantes Estados membros da organização que “aceita a ratificação do acordo”, mas que “precisa de revisitar o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa” de 1990, disse Lourenço do Rosário, citado pela mesma agencia.

Intervindo no encontro, Albertina Moreno, membro da Comissão Nacional do IILP, disse que a implementação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa em Moçambique terá um “custo mínimo” de 108,8 milhões de dólares.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!