Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Acordo de parceria a favor de grupos vulneráveis

O Ministério da Mulher e Acção Social (MMAS) e a Cruz Vermelha de Moçambique (CVM) assinaram na segunda-feira, em Maputo, um acordo de parceria visando formalizar a sua colaboração na implementação de acções destinadas a melhorar a vida de grupos vulneráveis.

As acções abrangidas são do ramo da Mulher e de natureza social, como as destinadas aos idosos, pessoas portadoras de deficiência, toxicodependentes e doentes crónicos. Igualmente, no âmbito deste acordo, as duas partes pretendem reforçar a prevenção e combate ao abuso de menores, bem como o apoio psico-social às vítimas de desastres naturais. Falando na cerimonia da assinatura do acordo, a Ministra da Mulher e Acção Social, Yolanda Cintura, disse que este acto representa a união entre o compromisso do Governo na assistência social aos cidadãos mais desfavorecidos e o cometimento da CVM na prestação de serviços aos segmentos mais vulneráveis da população moçambicana.

“O MMAS comunga com os seus parceiros de cooperação o cumprimento duma missão sublime que consiste no melhoramento das condições de vida dos seus grupos alvo através de desenvolvimento de programas de apoio multifacetado visando a promoção da assistência directa aos grupos populacionais com carência de apoio social, psicológica, material e moral, nomeadamente a mulheres, crianças, idosos, pessoas portadoras de deficiência e outros grupos sociais em situação de vulnerabilidade”, disse Cintura.

A Ministra acredita que, com o aumento de actores sociais envolvidos na causa da assistência e integração social dos grupos populacionais menos favorecidos na promoção do desenvolvimento do país, a pobreza e exclusão social serão melhor combatidos no país. Por seu turno, o secretário-geral da CVM, Américo Ubisse, prometeu que este acordo não será uma letra morta, mas sim viva e visível no terreno.

“A CVM não vai desiludir. Tudo fará para que o preceituado no acordo seja cumprido”, disse Ubisse, acrescentando que a sua organização está apostada em trabalhar em prol das populações mais vulneráveis. Segundo indica um comunicado de imprensa do MMAS, no quadro deste acordo, constam na lista das responsabilidades desta instituição a de auxiliar a CVM na aplicação da Politica de Acção Social e estratégias definidas pelo Governo no âmbito dos programas de atendimento a população vulnerável, colaborar na planificação das intervenções desta agência humanitária, entre outras.

A CVM, por sua parte, vai prestar assistência social ao nível comunitário, em particular nas zonas desprovidas de infraestruturas sanitárias e socais, actividade a ser levada a cabo em coordenação com o MMAS. Igualmente, a CVM tem a obrigação de informar aos Serviços Distritais da Saúde, Mulher e Acção Social sobre as pessoas em necessidade de apoio social, bem como a de desenvolver projectos sociais com base nos planos e prioridades das duas instituições

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!