Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Absorvidos 286 candidatos a emprego na cidade de Maputo

Diversas iniciativas económicas, bem como novos projectos que entraram em funcionamento na última semana de Outubro deste ano proporcionaram empregos a muitos candidatos a emprego, em diversos sectores de actividade, desde as especialidades altamente qualificadas até aos serviços terciários da economia.

As 286 vagas abertas em diferentes empresas da cidade de Maputo foram disponibilizadas no período, por diversas empresas, tendo 276 candidatos admitidos directamente nas empresas contratantes, enquanto por via do Centro de Emprego do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFP) conseguiram vagas 16 pessoas, através de colocaçõe, segundo um comunicado de imprensa enviado ao @Verdade.

O Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional, sobretudo através dos seus centros de emprego, tem recebido, das empresas, um número de vagas de emprego, com vista à selecção e respectivo recrutamento de candidatos, tendo em conta a competência e os exames de orientação profissional a que estes são sujeitos no processo de selecção para o emprego.

Além desta componente, as empresas celebram, parcerias com os centros de emprego para os processos de recrutamento da mão-de-obra, sobretudo a formada pelos centros do INEFP e a proveniente de outros ramos de qualificação profissional, que para ali acorrem com o fim de se inscreverem, na perspectiva de conseguir uma oportunidade de emprego.

Em relação à mão-de-obra estrangeira, a Direcção do Trabalho da Cidade de Maputo registou a contratação de 88 trabalhadores de nacionalidades estrangeiras, para trabalharem em algumas empresas da capital do país, por admissão directa, isto é, através da quota estabelecida por lei, enquanto apenas 21 vieram no âmbito do contrato para trabalhos de curta duração.

Por sua vez, os projectos de investimento foram responsáveis pela contratação de 22 trabalhadores estrangeiros. Algumas empresas rescindiram contratos com 12 expatriados, durante o período, enquanto outros 9 tiveram que regressar aos seus países por caducidade dos respectivos contratos, indica o documento.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!